INICIAL
Quem somos
VIDA CRISTÃ
VIDA VITORIOSA
SALVAÇÃO
ORAÇÃO
MISSÕES
TESTEMUNHOS
BIOGRAFIAS
CÔMICOS
VARIEDADES
O PODER DA ORAÇÃO
COMO FUI EM 2016?
LEIA A BÍBLIA
MEMÓRIA GLÁUCIA
O CASAMENTO
FALAR COM ENOQUE


Não vê essa imagem? Então clique aqui com botão direito do mouse e depois em Mostrar Imagem.
VIDA CRISTÃ

 

http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 A ENTRADA DO PECADO NA HUMANIDADE.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 A ENTRADA DO PECADO NA HUMANIDADE.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 A HERANÇA PODE SER SUA.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 A HERANÇA PODE SER SUA.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 A IGREJA COMO OFICINA DE DEUS.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 A IGREJA COMO OFICINA DE DEUS.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 AS QUATRO PROPOSTAS INDECENTES DE FARAÓ.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 AS QUATRO PROPOSTAS INDECENTES DE FARAÓ.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 AVIVAMENTO - ESBOÇO.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 AVIVAMENTO - ESBOÇO.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 DEUS NÃO DESISTE DE NÓS A5.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 DEUS NÃO DESISTE DE NÓS A5.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 DEZ OBRIGAÇÕES CONTÍNUAS DO CRISTÃO.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 DEZ OBRIGAÇÕES CONTÍNUAS DO CRISTÃO.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 O CRENTE FIEL NÃO É PECADOR.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 O CRENTE FIEL NÃO É PECADOR.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 O PREÇO DO RESGATE.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 O PREÇO DO RESGATE.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 SANTA CEIA DO SENHOR.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 SANTA CEIA DO SENHOR.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 UM RESTINHO DE AZEITE.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 UM RESTINHO DE AZEITE.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 UMA OFERTA VALOROSA.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 UMA OFERTA VALOROSA.doc

  http://www.enoque.com.br/config/bt/arq_word.gif1 UNÇÃO COMO CAPACITAÇÃO.doc
   Link:   http://www.enoque.com.br/geral/arquivos/1 UNÇÃO COMO CAPACITAÇÃO.doc

 



A ENTRADA DO PECADO NA HUMANIDADE

 

INTRODUÇÃO

 

A Bíblia – O maior livro do mundo – contem assuntos que abrange todas as áreas. Muitos temas são polêmicos e não chegam ao consenso. A entrada do pecado na humanidade, dependendo da forma de estudo fica entre eles. Por espiritual, é impossível estudá-lo fora da santa e maravilhosa Bíblia Sagrada, autoridade máxima. O tema não pertence ao grupo de assuntos técnicos ou científicos que podem ser comprováveis em testes laboratoriais, mas se submete ao teste mais eficiente exame que existe: a consciência. O termo está inserido cada vez mais em textos, discursos, títulos de filmes, palestras e até em livros técnicos; por ignorância ou irreverência, não importa, isso não vai fazer destes, pessoas especiais; são pecadores, porque “todos pecaram...” (Rm 3.22). Devemos nos lembrar que ele tem, de fato, alguns significados, dentro e fora no contexto teológico, sempre denotando falta, erro, culpa, etc. Fora da esfera bíblica costuma aparecer fora deste aspecto como em um comercial de TV que dizia: “não ter este produto é um pecado”. Os dicionários da Língua Portuguesa apresentam a palavra em várias situações e também como: transgressão de preceito religioso. Estaremos tratando do assunto neste aspecto, tendo a Bíblia como referência e limitando-me ao título: A ENTRADA do pecado na humanidade.

 

DEFINIÇÃO

A palavra tem ampla presença no texto bíblico e dependendo da versão, aparece pela primeira vez no sentido literal em Gn 4.7. O termo define com precisão uma transgressão, o que ocorreu pela primeira ainda vez na história da criação com o primeiro casal. No Dicionário Teológico, Claudionor de Andrade define: Do hebraico hattah; grego hamartios; do latim peccatum; transgressão deliberada e consciente das leis estabelecidas por Deus – (Andrade, p. 202).

A Bíblia contém muitos termos para significar pecado, todos eles dando idéia de falta, omissão e erro.

Outros sentidos:

Perversão (Os 14.4);

Transgressão (Rm 4.15);

Revolta (2 Rs 18.20);

Delito, Ef 2.5; 

Iniqüidade (1 Rs 17.18, 1 Jo 3.4);

Impiedade (2 Tm 2.16, 1 Sm 24.13);

Rebeldia (Js 22.22);

Imoralidade (1 Co 5.1);

Infidelidade (2 Co 6.15);

Culpa (Ed 9.6);

Dívida (Mt 6.12).

Uma grande quantidade de definições é encontrada de forma direta e indireta.

 

O COMEÇO

Deus tudo criou em completa harmonia para que a sua criatura inteligente pudesse ter uma vida prazerosa no corpo, na alma e no espírito (tricotomismo). O arbítrio foi dado ao ser humano para ter prazer em transformar, criar, inventar e definir caminho, enfim, poder optar por alguma coisa que melhor lhe atenda. Foi exatamente este arbítrio, dado com justo objetivo, que deixou a criatura vulnerável; mas, por outro lado, se não o tivesse herdado não se poderia dizer que o homem é ou não obediente a uma ordem expressa.

O primeiro casal foi formado por Deus com todas as características que preserva, inclusive o arbítrio que lhe permitiu a escolha de desobedecer a Deus. A inocência (alguns confundem este estado com pureza; é possível ser impuro genericamente e inocente em alguma questão.) fazia deles um absoluto servo porque não tinha o complicador pecado que afasta o homem de Deus. O principal prêmio pela obediência era a comunhão com Deus o que acontecia continuamente no jardim, (Gn 3.8).

O ser humano foi feito à imagem e semelhança de Deus, (Gn 1.27); o homem a partir do pó da terra, (Gn 2.7) e a mulher de uma costela do homem, (Gn 2.22).

 

AS ORDENS PRIMÁRIAS

As ordens dadas por Deus ao primeiro casal foram simples e primárias:

O domínio sobre os irracionais (Gn 1.26);

A propagação da espécie (Gn 1.28);

Cultivar a terra (Gn 2.8);

Dar nomes a todos os irracionais (Gn 2.19,20).

 

A PRIMEIRA DIETA

Não há consenso a respeito da cronologia da história da criação, mas pela ordem de impressão consta a dieta do homem em duas fases, a primeira com permissão para comer de todas as árvores frutíferas “Eis que vos dou toda erva de semente, que existe sobre toda a face da terra, e toda árvore que produz fruto com semente, para vos servirem de alimento” (Gn 1.29), e uma segunda quando uma árvore (da vida) é vetada.

 

A FORMAÇÃO DO ÉDEM

O Éden foi constituído com o objetivo de provar a sua natureza especial - a palavra hebraica Éden significa provavelmente significa “encantamento”, prazer” ou “deleite” – Pffeiffer, p. 7. Deus plantou um Jardim no Éden; isto significa uma ação especial “Depois, o Senhor Deus plantou um jardim em Éden, ao oriente, e ali pôs o homem que havia formado” (Gn 2.8). Neste jardim o SENHOR colocou todas as árvores agradáveis e boas para comida, (Gn 2.9) – A palavra jardim significa um cercado ou um parque - Pffeiffer, p. 7. Convém observar que ali estavam duas árvores com simbolismo especifico, de forma que foram realçadas na citação “da vida” e “do bem e do mal”.

 

 

DUAS ÁRVORES EM DESTAQUE

Na maioria das versões bíblicas o texto informa com clareza que no meio do jardim estava a árvore da vida e cita a outra sem ressaltar a localização. No versículo consta: “a árvore da vida no meio do jardim e a árvore do conhecimento do bem e do mal”. Ficaria mais evidente que as duas estavam no meio do jardim se o texto fosse: “a árvore da vida e a árvore do conhecimento do bem e do mal no meio do jardim”. Esta idéia de ser uma árvore no centro e a outra em lugar indefinido pode ser refutada pela expressão de Eva em defesa da obediência, antes de ceder à tentação, (Gn 3.2,3); ao que parece ela estava mesmo referindo a árvore “da ciência do bem o do mal”

 

O LIMITE

Diferente das ordens primárias, Deus deu uma ordem incondicional ao homem dizendo: “Podes comer de todas as árvores do jardim. Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não deves comer, porque no dia em que o fizeres serás condenado a morrer” (Gn 2.16,17). Neste ponto não havia qualquer chance de negociação, era uma questão de vida ou morte.

 

A INTERVENÇÃO DA SERPENTE

A serpente foi usada por satanás por ser a mais astuta dentre todos os animais, (Gn 3.1). Ela fez uma interrogação mudando a sentença, colocando todas as árvores como vetadas. Na verdade Deus só havia vetado uma. É bom que nos lembrarmos: a “da vida” não estava proibida. Se (Gn 2.9) estiver discriminando o local de plantio das árvores, o questionamento da serpente pode ter confundido a Eva fazendo-a tropeçar na resposta.

Eva estava defendendo a ordem divina quando falou: “Do fruto das árvores do jardim, podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, Deus nos disse: não comais dele nem sequer o toqueis, do contrário morrereis” (Gn 3.2,3), mas isto não intimidou o espírito tentador que usou de astúcia para despertar curiosidade, cobiça e poder na mulher, (Gn 3.4,5).

Existe uma corrente que defende Eva dizendo que ela não estava presente quando Deus fez o veto a Adão e ainda ela estava sozinha no momento da tentação. Não se pode contestar uma ordem de Deus de caráter irreversível; nenhuma desculpa é aceita em hipótese alguma; não faltou para estas primeiras criaturas o aviso e a parceria do Criador.

 

A ENTRADA DO PECADO NA HUMANIDADE

O pecado não foi inaugurado no primeiro casal; já existia desde que satanás se rebelou contra Deus e por através dele o tentador incitou a mulher a desobedecer a Deus. Eva em estado tenso cedeu à tentação e desobedeceu a Deus e o seu esposo Adão também fez o mesmo. O resultado disto ocasionou a entrada do pecado na humanidade.

“A mulher notou que era tentador comer da árvore, pois era atraente aos olhos e desejável para se alcançar inteligência. Colheu o fruto, comeu e deu também ao marido, que estava junto, e ele comeu” (Gn 3.6). Como podemos observar, o pecado entrou na humanidade por três portas: A concupiscência da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba da vida, (1 Jo 2.16).

Era boa para se comer - A concupiscência da carne. Agradável aos olhos - a concupiscência dos olhos. Desejável para dar entendimento - a soberba da vida.

 

CONCLUSÃO

 

Há grande inquietação quando se fala do pecado; por não admitir que ele existe, por não concordar que tenha entrado com a permissão de Deus, por não entender a razão de ser pecador mesmo não tendo pedido a Deus para nascer. Na Lei de Introdução ao Código Civil no seu artigo segundo diz: “Ninguém se escusa de cumprir uma lei, alegando que não a conhecê-la”; na lei de Deus de Deus não é diferente, não há acepção de pessoas, (Dt 10.17).

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

ANDRADE, Claudionor Correa. Dicionário Teológico: Com Definições etimológicas e locuções latinas. Rio de Janeiro : CPAD. 1996.

BÍBLIA edição pastoral : CD Room. Editora Paulus. 2003.

BRASILEIRA.Imprensa Bíblica.Bíblia Sagrada: concordância e dicionário.87.ed. Rio de Janeiro: Editora Vida.1997.

BUCKLAND.A.R, M.A, WILLIAMS. L. Dicionário Bíblico Universal. Flórida – EUA: Editora Vida. 1987.

FERREIRA.Aurélio Buarque de Holanda. J.E.M.M.Editores. Dicionário Aurélio Básico da Lingua Portuguesa. Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira. 1989.

MAHONEY, Ralph. O cajado do Pastor. Burbank : World MAP. 1995.

PFEIFFER, Charles F, HARRISON, Everett F. Comentário Bíblico Moody. SÃO Paulo : Editora Batista regular. 1999.

TRIPLETT.L.O..STAMPS.D.C..ADAMS.J.W..SOUZA.R.R..CHOWN.G..GILBERTO. Bíblia de Estudo Pentecostal.4.ed. Estados Unidos: Life Publishers.1995.

 

 

 

 


A HERANÇA PODE SER SUA

Por Enoque Rodrigues Nogueira

 

INTRODUÇÃO

 

Herança é algo que qualquer uma pessoa normal gostaria de receber. O termo significa “aquilo que se herda; legado; posse; herdança; o que é transmitido por hereditariedade. Bens, direitos ou obrigações transmitidos por sucessão ou por disposição testamentária” [1]. Receber uma herança é algo maravilhoso; é tomar posse de algo que vem sem que se faça esforço; é uma verdadeira bênção.

No mundo em que vivemos muitos chegam viver momentos de ansiedade por causa de uma herança a receber. Por achar que o direito de posse está distante, alguns maus herdeiros chegam a cometer atos absurdos. Possessos pela ação demoníaca chegam a assassinar por causa da ambição. Há também casos de desequilibro emocional em herdeiros que ficam ansiosos pela herança,mas nada pode fazer por causa da consciência e boa formação de caráter. Ainda bem que a maioria não dá nenhum passo desequilibrado em direção a essa conquista; antes, trabalha naturalmente, cuida dos seus abençoadores e prefeririam se possível fosse não herdar nada de quem tanto ama, desejando tê-los sempre no seu convívio social. Também existem as surpresas, é o caso daqueles que são citados em algum testamento sem saber e ficaram e surpreendidos pela herança recebida.

A dimensão de uma herança recebida de um fazendeiro pode mensurada pela extensão da terra. Existem grandes proprietários por este mundo afora. O Brasil já contou com um destes. “Laucídio Coelho chegou a ser o maior proprietário rural do mundo, de acordo com a edição de 1977 do Guiness Book, estando sempre na vanguarda dos planejamentos e na utilização de novas tecnologias. Suas fazendas somavam 1 milhão de hectares no centro-oeste brasileiro.”[2]. Com certeza Laucídio não foi o que sobrepujou a todos. O primeiro casal habitante da terra foi o maior proprietário de terras que já existiu. Adão e Eva não possuíram parte da terra e sim toda a terra.

“A herança pode ser sua”. Foi o tema escolhido pelos coordenadores da festa de mocidade da Mocidade da Assembléia de Deus em Pádua – RJ, baseado em Efésios 1.13,14, “Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa. O qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória”.

O Deus dos cristãos é dono de todas as coisas “Do SENHOR é a terra e a sua plenitude, o mundo e aqueles que nele habitam” (Sl 24.1). Ele não é somente rico. É o criador de tudo o que possui e como digno dos bens o administra distribuindo para, quem quer, como quer e quando quer. A herança que será comentada nas linhas deste trabalho não são bens materiais; é aquela que passou pela metamorfose; uma promessa da terra prometida[3] em uma esfera material para a outra terra prometida em uma visão espiritual. “A quem vencer, eu o farei coluna no templo do meu Deus, donde jamais sairá; e escreverei sobre ele o nome do meu Deus, e o nome da cidade do meu Deus, a nova Jerusalém, que desce do céu, da parte do meu Deus, e também o meu novo nome” (Ap 3.12).

A nossa proposta maior é que possamos entender o plano de salvação de Deus na vida da humanidade tipificado na herança, através do Herdeiro-Mor, Jesus Cristo.

 

 

A HERANÇA TERRA

 

A herança natural que Deus reservou para a sua criatura

Deus criou todas as coisas e as deixou para o deleite de sua obra prima, o ser humano. Este teve oportunidade de usufruir tudo que a Natureza oferecia: os frutos, o clima, as flores, o prazer lícito, o amor e, sobretudo a presença de Deus. “E ouviram a voz do Senhor Deus, que passeava no jardim pela viração do dia; e esconderam-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do jardim” (Gn 3.8).

 

 A queda

 Devido o pecado ter achado espaço na vida conjugal dos primeiros seres humanos criados(Gn 3.6), a situação ficou complicada para eles e por fim tiveram que deixar o Paraíso e trabalhar com ardor para ter condições de vida (Gn 3.19). A partir daí cada conquista foi com muito trabalho.

 

 

 

AS TRÁGICAS CONSEQÜÊNCIAS DA QUEDA

 

Uma geração má

 

A geração do assassino Caim, filho de Adão, foi marcada por uma série de contratempos. Ele mata a seu irmão Abel (Gn 4.8); É expulso da Região onde estava (Gn 4.14); seu descendente Lameque implantou a poligamia (Gn 4.19); Um espírito de vingança se apodera de Lameque (Gn 4.24); Mesmo depois de Deus suscitar semente a Adão devido a morte de Abel (Gn 4,25) e deste ter vindo toda uma geração de bem (Gn 5), logo que se multiplicaram na terra, eles se misturaram e isto entristeceu o coração de Deus. “E viu o Senhor que a maldade do homem se multiplicara sobre a terra e que toda a imaginação dos pensamentos de seu coração era só má continuamente” (Gn 6.5). Deus resolveu então destruir toda a geração “E disse o Senhor: Destruirei o homem que criei de sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; porque me arrependo de os haver feito” (Gn 6.7), exceto a família de Noé (Gn 6.18).

 

 

Uma família proprietária da terra e a rebeldia dos homens

 

“E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra” (Gn 9.1). Neste ponto, apenas oito pessoas habitavam a terra e tinham tudo para serem felizes, mas apareceu a velha natureza pecaminosa de Adão e a terra outra vez se corrompeu.

Mais tarde satanás incita o coração dos poderosos da terra e então, ao invés de obedecerem a Deus que disse: “frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra” resolveram confrontá-Lo tentando construir uma torre. “E disseram: Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra.” (Gn 11.4).

Como sempre, a desobediência só trás danos e destruição na vida de qualquer pessoa, Deus agiu impedindo a obra e os espalhando. “Assim o Senhor os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade” (Gn 11.8).

 

 

DEUS PROMETE AS BÊNÇÃOS PARA A DESCENDÊNCIA DE ABRAÃO, QUE SÃO ESTENSIVAS A TODOS OS CRISTÃOS

 

Em meio a uma geração perversa e tendenciosa, com as línguas já diversificadas (Gn 11.9) Deus resolveu chamar um homem para que pudesse nele valer o Seu plano de vida e também a partir daí a extensão da bênção até nós.

 “Ora, o Senhor disse a Abrão: Sai-te da tua terra, da tua parentela, e da casa de teu pai, para a terra que eu te mostrarei. Eu farei de ti uma grande nação; abençoar-te-ei, e engrandecerei o teu nome; e tu, sê uma bênção. Abençoarei aos que te abençoarem, e amaldiçoarei àquele que te amaldiçoar; e em ti serão benditas todas as famílias da terra” (Gn 12.1-3).

 

Deus prometeu herança a Abraão

Na vontade de reservar herança para o Povo escolhido Deus faz promessa a Abrão. “Disse-lhe mais: Eu sou o Senhor, que te tirei de Ur dos caldeus, para te dar esta terra em herança” (Gn 15.7). Mais tarde O SENHOR confirma a promessa ao seu servo. “Então disse o Senhor a Abrão: Sabe com certeza que a tua descendência será peregrina em terra alheia, e será reduzida à escravidão, e será afligida por quatrocentos anos” (Gn 15.13). Desde as promessas até a entrada do povo no regime de servidão no Egito se passaram duzentos anos, mas a promessa continuou viva. Mais 430 anos a promessa resistiu firme durante o período em que o Povo ficou sob o jugo dos faraós (Ex 12.40).

 

 

DEUS MANDOU MOISES FALAR COM O SEU POVO QUE ELES TERIAM HERANÇA GARANTIDA

 

Logo ao chamar Moises para dizer-lhe que ele seria o libertador Deus determinou que ele lembrasse ao seu povo que a herança estava garantida depois de tanto sofrimento.

“Portanto dize aos filhos de Israel: Eu sou Jeová; eu vos tirarei de debaixo das cargas dos egípcios, livrar-vos-ei da sua servidão, e vos resgatarei com braço estendido e com grandes juízos. Eu vos tomarei por meu povo e serei vosso Deus; e vós sabereis que eu sou Jeová vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios. Eu vos introduzirei na terra que jurei dar a Abraão, a Isaque e a Jacó; e vo-la darei por herança. Eu sou Jeová.”(Ex 6.6-8).

 

 

CARACTERÍSTICAS DOS HERDEIROS

 

Moisés foi o homem escolhido por Deus para conduzir o povo de forma segura e doutrinada para a terra prometida.  “Vem agora, pois, e eu te enviarei a Faraó para que tires o meu povo (os filhos de Israel) do Egito” (Ex 3.10). Foi uma longa trajetória desde a chamada até a passagem do cargo ao seu sucessor Josué, porém, enquanto esteve à frente do Povo herdeiro, Moisés atentou para ensiná-los tudo quanto o SENHOR lhe mandara. No capítulo quatro de Deuteronômio, versículos 1 ao 22), encontramos algumas lições para as nossas vidas a partir de um povo que teve promessa de herança na terra Prometida. Escolhi, no entanto, apenas dez para nossa reflexão.

Características um povo herdeiro:

1.                 Ouvem os estatutos e os preceitos de Deus (v.1);

2.                 Não acrescentam nem diminuem palavra de Deus (v.2);

3.                 São apegados a Deus (v.4);

4.                 Aprendem os estatutos e preceitos de Deus (v.5);

5.                 Têm sabedoria e entendimento à vista dos povos (v.6);

6.                 Têm Um Deus chegado todas as vezes que o invocam (v.7);

7.                 Tem como nenhum outro povo, estatutos e preceitos altamente justos (v.8);

8.                 Foram tirados da escravidão do mundo para serem hereditários (v.20);

9.                 Não murmura contra o SENHOR (v.21)

10.             Tomam posse da boa terra (v.22).

 

 

HERANÇA NA BÍBLIA

 

Na Bíblia Sagrada encontramos muitas referências sobre herança que servem, para aplicação na nossa vida não só material como a espiritual; em algumas situações o termo não está referindo a bens, porém a maioria falando da terra prometida.

Em todo o Livro Santo, na versão Revista e Corrigida[4] a palavra “herança” é encontrada 247 vezes. O livro de Josué é o que tem maior incidência: 48 vezes, sendo quase todas relacionadas com a divisão e posse da terra prometida. No Novo Testamento São encontradas 19 vezes: na parábola dos “lavradores maus” (Mt 21.38; Mc 12.7; Lc 20.14); na declaração de vida eterna (Mt 25.34); na parábola do “rico insensato” (Lc 12.13); no discurso ousado de Estevão sintetizando a história do povo hebreu (At 7.5); no discurso de Paulo aos anciãos de Éfeso na ocasião em que disse não cobiçar coisas materiais[5] (At 20.32); na explicação que Paulo deu sobre a promessa dizendo que a herança foi dada a Abraão gratuitamente (Gl 3.18); na explanação paulina sobre a eleição dos crentes (Ef 1.11), do espírito Santo como garantia da promessa (Ef 1.14) e da sabedoria, revelação e entendimento dos crentes quanto à esperança de sua vocação (Ef 1.18); na relação de procedimentos que tiram o direito de vida eterna (Ef 5.5); na palavra que Paulo declara que os crentes são idôneos para a salvação (Cl 1.12); na promessa de salvação para os que respeitarem a hierarquia social, a fraternidade e a boa conduta familiar (Cl 3.24); na declaração do escritor aos hebreus de ser Cristo o verdadeiro sacrifício e o único mediador (Hb 9.15); na galeria dos heróis da fé dizendo que Abraão, o herdeiro, saiu sem saber para onde ia (Hb 11.8); na palavra de louvor de Pedro, a Deus por Ele ter “nos gerado de novo para uma viva esperança” (1 Pe 1.3,4); na advertência petrina quanto aos requisitos para obtenção da vida eterna (1Pe 3.9); finalmente herança simbolizando o rebanho de Deus (1 Pe 5.3).

 

 

PARTICULARIDADES DA HERANÇA

 

A herança tem particularidades que servem para aplicação na nossa vida cristã, mesmo considerando que o termo possa ter dois sentidos: material e espiritual. Algumas destas citações estão a seguir.   

 

É intransferível jamais pode ser “vendida”

 

No livro dos Reis podemos ver uma das mais lindas expressões de valorização de uma herança, quando o poderoso rei Acabe, pelo poder que exercia pensou que podia “comprar” a herdade de Nabote. Este fiel servo de Céus posicionou de forma exemplar. “Respondeu, porém, Nabote a Acabe: Guarde-me o Senhor de que eu te dê a herança de meus pais” (1 Rs 21.3).

 

 

A melhor porção é o próprio Deus

Embora saibamos que Deus é o dono do ouro e da prata e tem poder dar aos Seus servos bens materiais, devemos também nos lembrar que não há espaço para todos receberem de Deus certas “bênçãos”. Não adiante um grupo de oração se reunir e fazer trezentos e dezoito jejuns e lançar pedras no gigante de isopor para que Deus coloque todos por cabeça na função de Presidente da República Brasileira, porque o cargo é conquistado pelo voto direto e só há uma vaga por cada eleição.

O salmista do dezesseis disse com toda humildade que a sua verdadeira porção era o próprio Deus. “Tu, Senhor, és a porção da minha herança e do meu cálice; tu és o sustentáculo do meu quinhão” (Sl 16.5).

 

É propriedade de um povo bem-aventurado

O cristão é um povo bem-aventurado por ter sido escolhido por Deus como Sua herança. “Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o Senhor, o povo que ele escolheu para sua herança” (Sl 33.12).

 

A herança é só para os santificados

A Palavra de Deus foi escrita com uma característica ímpar: não existem meios termos quando se trata de decisão ou de conduta. Referindo à salvação disse Jesus: “e porá as ovelhas à sua direita, mas os cabritos à esquerda” (Mt 25.33). João, escrevendo a Revelação escreveu referindo aos “meios crentes” disse: “quiseras foste quente ou frio” (Ap 3.15). Da mesma forma, a herança não pode ser conquistada por crentes parciais. “Agora pois, vos encomendo a Deus e à palavra da sua graça, àquele que é poderoso para vos edificar e dar herança entre todos os que são santificados” (At 20.32).

 

É eterna santíssima e inalterável

Muitos herdeiros, por descuido ou não saberem lidar com o bem recebido, permitem que a sua herdade deprecie. A herança que Deus preparou para os Seus herdeiros é totalmente diferente. Não sofre qualquer alteração e perdura para sempre. É uma herança “... incorruptível, incontaminável e imarcescível reservada nos céus para vós” (1Pe 1.4).

 

É oferecida aos habilitados por Deus através de Jesus

O cristão jamais pode deixar de agradecer a Deus pelo Seu expressivo ato de amor, oferecendo o Seu único Filho, Jesus Cristo,  para transformar a sua natureza pecaminosa em santo e classificado como “habilitado” a receber a herança na luz. “dando graças ao Pai que vos fez idôneos[6] para participar da herança dos santos na luz” (Cl 1.12).

 

É o maior galardão que o crente pode receber

 Sabe-se que as pessoas gostam de ser recompensadas por algum “serviço” prestado. Os crentes em Jesus Cristo recebe muitas bênçãos ao longo de sua jornada aqui na terra, mas a maior recompensa que ele vai receber não são as línguas estranhas, profecias, revelações, manifestação do poder de Deus, cargos na Igreja, festas e congressos ou qualquer outra coisa. O crente em Jesus que permanecer fiel a Deus receberá uma recompensa que não pode ser comparada com nada que existe; é a salvação. “Sabendo que do Senhor recebereis como recompensa a herança; servi a Cristo, o Senhor” (Cl 3.24).

 

 

A HERANÇA ESPIRITUAL

 

O apostolo Paulo deixou bastante claro que a principal descendência de Abraão é Jesus Cristo. Sabemos que, como servos de Deus herdaremos com Cristo todas as coisas. “Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho” (Ap 21.7). Escrevendo aos gálatas, o apóstolo explicou como a bênção de Abraão chegou a todos nós os servos de Deus.

Sabei, pois, que os da fé é que são filhos de Abraão. Ora, tendo a Escritura previsto que Deus justificaria pela fé os gentios, preanunciou o evangelho a Abraão: Em ti, serão abençoados todos os povos. De modo que os da fé são abençoados com o crente Abraão.

_____________________________________________________________

 

Para que a bênção de Abraão chegasse aos gentios, em Jesus Cristo, a fim de que recebêssemos, pela fé, o Espírito prometido. Irmãos, falo como homem. Ainda que uma aliança seja meramente humana, uma vez ratificada, ninguém a revoga ou lhe acrescenta alguma coisa. Ora, as promessas foram feitas a Abraão e ao seu descendente. Não diz: E aos descendentes, como se falando de muitos, porém como de um só: E ao teu descendente, que é Cristo. (Gl 3.7-9,14-16)

 

 

A HERANÇA DO CRISTÃO É O CÉU DE CRISTO

 

Deus inspirou aos Seus servos a escreverem a história do povo hebreu com propósito de deixar uma versão perscrutável daquilo que Ele tem preparado para todos os que O reconhecessem como o único capaz de salvar a humanidade, a todos os que obedecessem aos Seus preceitos e aceitassem a Jesus Cristo como Salvador. Para que a herança espiritual chegasse a nós, toda uma trajetória de vida foi traçada para o Seu povo, inclusive na mudança de conceito da Promessa de uma vida abundante material para a Vida Eterna.

 

Os sacerdotes não tinham herança na terra; a sua parte era Deus.

Quando Deus separou os levitas para o sacerdócio disse-lhes que a parte deles era na esfera espiritual. “Disse também o Senhor a Arão: Na sua terra herança nenhuma terás, e no meio deles nenhuma porção terás; eu sou a tua porção e a tua herança entre os filhos de Israel.” (Nm 18.20).

 

Os cristãos são sacerdotes reais

Nós, cristãos, servos de Deus, também temos a certeza da posse da herança espiritual em um céu de glória juntamente com Jesus Cristo. Pedro falou da natureza do sacerdócio dos cristãos.  “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1Pe 2.9).

 

A herança do crente está garantida antes de seu nascimento

Os servos de Deus, os sacerdotes reais, devem atentar para a herança espiritual que está preparada desde antes da fundação do mundo. “Então dirá o Rei aos que estiverem à sua direita: Vinde, benditos de meu Pai. Possuí por herança o reino que vos está preparado desde a fundação do mundo” (Mt 25.34).

 

Não há nenhuma outra forma de receber a herança a não ser através de Cristo

O escritor aos hebreus manifestou a impossibilidade de salvação fora de Jesus Cristo e diz que Jesus foi o principal missionário e depois os seus ouvintes diretos. “Como escaparemos nós, se não atentarmos para uma tão grande salvação, a qual, começando a ser anunciada pelo Senhor, foi-nos depois confirmada pelos que a ouviram” (Hb 2.3).

 

 

UMA MENSAGEM DE PAULO AOS EFÉSIOS

 

O tema bíblico usado pelos Jovens da Assembléia de Deus em Santo Antônio de Pádua para reflexão foi retirado do texto em efésios 1.1-14, com ênfase no penúltimo e último destes versículos. Como nos textos anteriores, neste também temos ricas mensagem para todos os herdeiros de Cristo.

Lições que tiramos do texto: 

 

A Mensagem endereçada não só aos efésios, mas também a todos os fiéis.

“Paulo, apóstolo de Jesus Cristo, pela vontade de Deus, aos santos que estão em Éfeso e fiéis em Cristo Jesus” (Ef 1.1).

 

Apresenta um modelo completo de saudação cristã.

“a vós graça e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e da do Senhor Jesus Cristo” (Ef 1.2).

 

O cristão é abençoado com as bênçãos espirituais.

“Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual nos abençoou com todas as bênçãos espirituais nos lugares celestiais em Cristo” (Ef 1.3).

Os filhos de Deus foram escolhidos antes da criação do mundo para serem santos.

“como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em caridade” (Ef 1.4).

Os santos são filhos adotivos, predestinados pela soberania de Deus.

“e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade” (Ef 1.5).

Os santos foram escolhidos para o louvor e glória de Sua Graça.

“... para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado” (Ef 1.6).

Pela Graça os santos têm os seus pecados perdoados

“Em quem temos a redenção pelo seu sangue, a remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça” (Ef 1.7).

A sabedoria e inteligência dos santos vêm pela Graça de Deus

“que Ele tornou abundante para conosco em toda a sabedoria e prudência” (Ef 1.8).

Deus se revela pela Sua própria vontade.

“descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo” (Ef 1.9).

Cristo é o centro de todas as coisas, espirituais e materiais, celestiais e universais.

“...de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra” (Ef 1.10).

Em Cristo recebemos nossa parte na herança, conforme a vontade de Deus.

“nele, digo, em quem também fomos feitos herança, havendo sido predestinados conforme o propósito daquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade” (Ef 1.11).

Os escolhidos que esperam em Cristo são abençoados para a glória de Deus.

“com o fim de sermos para louvor da sua glória, nós, os que primeiro esperamos em Cristo” (Ef 1.12).

Os cristãos fiéis têm o Selo da promessa.

“em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e, tendo nele também crido, fostes selados com o Espírito Santo da promessa” (Ef 1.13).

O Espírito Santo é a garantia da herança.

“o qual é o penhor da nossa herança, para redenção da possessão de Deus, para louvor da sua glória” (Ef 1.14).

 

 

CARACTERÍSTICAS DOS HERDEIROS SEGUNDO PEDRO

 

Poderíamos usar a Bíblia inteira para extrairmos o perfil ou característica dos herdeiros da herança celestial com Jesus Cristo. Vários textos propõem uma reflexão sobre esta realidade. No primeiro livro de Pedro 3.1-11 temos as seguintes características dos herdeiros do céu de Cristo:

 

As mulheres: (1 Pe 3.1-6):

·                    Submetem-se aos seus maridos;

·                    Aquela que tem marido descrente pode “ganhá-lo” para Jesus sem palavras, através de seu testemunho;

·                    Deve ter uma vida casta em temor;

·                    Não é bela pelo que veste ou se adorna;

·                    É bela pela natureza do coração incorruptível e quietude diante de Deus;

·                    Faz o bem e é corajosa ;

Os maridos (v.7):

·                    Vivem em harmonia com a esposa;

·                    Honram as suas mulheres como vasos mais fracos;

Os cristãos (v.8-11):

·                    Têm um mesmo sentimento entre si;

·                    São compassíveis;

·                    Amam uns aos outros;

·                    São misericordiosos;

·                    São afáveis;

·                    Não tornam mal por mal ou injúria por injúria;

·                    Bendizem sabendo que para isto foram chamados, para que, por herança, alcancem a bênção.

·                    Refreiam a sua língua do mal;

·                    Seus lábios não falam engano;

·                    Apartam-se do mal e fazem o bem;

·                    Buscam a paz e a seguem.

 

 

QUEM NÃO TEM HERANÇA NO REINO DE CRISTO E DE DEUS

 

Quem não for alcançado pela Graça salvadora de Jesus não terá nenhuma chance de herdar o Reino dos céus. Jesus pagou um preço altíssimo[7] para que todos os crentes tenham o direito a herança da vida eterna. Não há nenhuma chance para o pecador. Enquanto este não confessar os seus pecados não poderá gozar do maior favor de Deus para a humanidade. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 Jo 1.9). Quem recebe a Cristo vive na pratica pecaminosa e não se arrepende de seus maus atos.

 

Entre os que não têm direito À herança no Reino de Cristo e de Deus estão:

O fornicador, O impuro, O avarento (o qual é idólatra) (Ef 5.5);

Os cães[8], Os feiticeiros, Os que se prostituem, Os homicidas, Os idólatras, Qualquer que ama e comete a mentira (Ap 22.15).

Os que vivem na carnalidade.

“porque as obras da carne são manifestas, as quais são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, emulações[9], iras, pelejas, dissensões, heresias, invejas, homicídios, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o Reino de Deus” (Gl 5.19-22).

 

 

QUEM TEM HERANÇA NO REINO DE CRISTO E DE DEUS

 

Terá herança no Reino de Cristo e de Deus todos os escolhidos por Deus. “Não me escolhestes vós a mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e deis fruto, e o vosso fruto permaneça, a fim de que tudo quanto em meu nome pedirdes ao Pai ele vos conceda” (Jo 15.16). É necessário que os escolhidos confessem que Jesus Cristo é o seu salvador “E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus” (Lc 12.8). Os herdeiros têm o fruto do Espírito.

 

Quem tem o fruto do espírito?

Os que têm Caridade; Gozo; Paz; Longanimidade; Benignidade; Bondade; Fé; Mansidão; Temperança (Gl 5.22).

Os que sofrem pelo Evangelho “e sofreste e tens paciência; e trabalhaste pelo meu nome e não te cansaste” (Ap 2.3);

Os fiéis “Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida” (Ap 2.10);

Os que não negam a fé Eu sei as tuas obras, e onde habitas, que é onde está o trono de Satanás; e reténs o meu nome e não negaste a minha fé,” (Ap 2.13);

Os que têm as obras conhecidas por JesusEu conheço as tuas obras, e a tua caridade, e o teu serviço, e a tua fé, e a tua paciência” (AP 2.19);

Os que se arrependem e guardam as palavras de JesusLembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te” (Ap 3.3);

Os que não negam o nome de Jesus tendo pouca força, guardaste a minha palavra e não negaste o meu nome.” (Ap 3.8);

 

 

A HERANÇA PODE SER SUA

 

Concluindo quero dizer que Deus deixou todo um globo terrestre para os nossos pais Adão e Eva, mas eles pecaram e passaram a condição de cultivador e executores de trabalhos árduos. Deus, por Sua misericórdia agiu varias vezes a favor de Sua criatura erradicando pelas águas do dilúvio a maldade, depois chamando a Abraão e dando-lhe a promessa. Depois o SENHOR modifica a natureza da herança terrena e assinala para uma herança maior no céu de glória através de Jesus Cristo.

Por fim Deus oferece o Seu único Filho para que todos os crentes tenham Nele a HERANÇA ETERNA. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3.16).

Hoje, a herança pode ser nossa, através de Jesus Cristo, o Filho do Domo de tudo o que existe.

Louvado seja o nome do SENHOR Jesus porque a herança pode ser nossa.

 

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

 

BÍBLIA ON LINE. Versão Revista e Corrigida, de João Ferreira de Almeida. Sociedade Bíblica do Brasil.

BÍBLIA ON LINE. Versão Revista e Atualizada, de João Ferreira de Almeida. Sociedade Bíblica do Brasil.

BÍBLIA ON LINE. Versão Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Sociedade Bíblica do Brasil.

BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral. Editora Paulus. Versão on line.

BÍBLIA SAGRADA. Com referências e algumas variantes: edição revista e corrigida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1987.

http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx 05/07/06.

http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=25631  05/07/06.

DICIONÁRIO AURÉLIO. Edição On line. Século XXI.

 

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS

 

 

 



[1] http://www.priberam.pt/dlpo/definir_resultados.aspx

[2] http://www.abn.com.br/editorias1.php?id=25631. em 05/07/06

[3] Nós passaremos armados perante o senhor para a terra de Canaã, e teremos a possessão de nossa herança aquém do Jordão” (Nm 32.32).

 

[4] BÍBLIA SAGRADA. Com referências e algumas variantes: edição revista e corrigida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1987.

[5] “De ninguém cobicei a prata, nem o ouro, nem o vestido” (At 20.33).

[6] “Capazes” na BLH.

[7] “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pe 1.18.19).

 

[8]os que cometem pecados nojentos” (BLH).

[9] Emulação: Sentimento que incita a igualar ou superar outrem (Dic. Aurélio).


A IGREJA COMO OFICINA DE DEUS

Por Enoque Rodrigues Nogueira

 

A Oficina – A Igreja;

O dono – Deus (Pai, Filho, Espírito Santo);

O Gerente é o pastor;

Os encarregados são os Obreiros;

Os mecânicos são os obreiros do Senhor;

Os demais profissionais diretos e indiretos são todos os membros.

O manual é a Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

O carro é a nossa vida

O dono do carro somos nós.

 

 

 

A IGREJA COMO OFICINA DE DEUS

 

A  o r a ç ã o   p a s t o r a l: “Senhor Jesus, vem nos abençoar”

 

Na Igreja somos abençoados com as bênçãos espirituais e materiais.

Lavagem - Como acontece em oficinas de lavagem, na Igreja recebemos a lavagem pela Água do Espírito. “Vós, maridos, amai vossa mulher, como também Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela, para a santificar, purificando-a com a lavagem da água, pela palavra” (Ef 5.25,26).

Polimento - Como acontece na oficina, na Igreja, somos polidos e recebemos o brilho do Espírito Santo para testificarmos diante do mundo. “para que sejais irrepreensíveis e sinceros, filhos de Deus inculpáveis no meio duma geração corrompida e perversa, entre a qual resplandeceis como astros no mundo” (Fp 2.15).

Óleo - Como na oficina se coloca óleo nas peças em movimento, Deus mantém em nós o óleo da sabedoria. “E vós tendes a unção do Santo e sabeis tudo” (1 Jo 2.20).

Troca de óleo - Assim como nas oficinas trocamos o óleo do motor, Na Igreja recebemos uma Unção fresca. “Mas tu exaltarás o meu poder, como o do unicórnio: serei ungido com óleo fresco” (Sl 92.10).

Melhoria de desempenho - Assim como levamos o nosso carro na oficina para envenenamento, na Igreja Deus multiplica a nossa força. “Mas os que esperam no SENHOR renovarão as suas forças e subirão com asas como águias; correrão e não se cansarão; caminharão e não se fatigarão” (Is 40.31).

A  o r a ç ã o   p a s t o r a l: “Tu podes consertar tudo o que estiver errado em nós.”.

Troca de peças – Assim como levamos o nosso carro para trocar as peças que ficaram danificadas, quer por imprudência, quer por nosso erro ou desmazelo, Deus concerta as nossas falhas.

E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor e não desmaies quando, por ele, fores repreendido (...) Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija? (...) E, na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela. (Hb 12.5,7,11).

 A  o r a ç ã o   p a s t o r a l:

Aqui é o lugar onde se conserta o nosso carro quebrado.

 

A PERDA TOTAL

NESTE CASO UMA ANALOGIA NÃO PODE SER FEITA

 

A perda total – Quando se sofre um grande acidente, uma carreta bate de frente e somente a vida é poupada, lava-se o carro na oficina os especialistas dizem:

“É perda total”. “Não podemos fazer nada”.

Neste caso, somente um outro carro; se o carro e a nossa vida e só temos uma, então se encerram os recursos humanos.

Na nossa vida, depois de um grande acidente ou de uma contradição, frustração ou perda, também nós ouvimos dizer:

“Não tem mais jeito”, “Está tudo acabado”, “É o fim”, “Já era”.

Aí aparece alguém e diz: “Só Deus”.

 

 

NÃO HAVENDO MAIS ESPERANÇA, O SOFREDOR ENTRA NA OFICINA DE DEUS.

 

Na Igreja há acordo entre todo o corpo, pastores, obreiros e membros.

Também vos digo que, se dois de vós concordarem na terra acerca de qualquer coisa que pedirem, isso lhes será feito por meu Pai, que está nos céus” (M18.19).

 

 

 

NA OFICINA DE DEUS MILAGRES ACONTECEM

 

Cura divina - “E, sabendo-o a multidão, o seguiu; e ele os recebeu, e falava-lhes do Reino de Deus, e sarava os que necessitavam de cura” (Lc 9.11).

Alivio as nossas cargas - “Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei” (Mt 11.28).

Perdão dos pecados – “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 Jo 1.7).

Salvação “Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o que se havia perdido” (Lc 19.10).

Liberdade – “Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres” (Jo 8.36).

Há um Deus Todo-Poderoso que pode fazer tudo o que quiser.

“Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera” (Ef 3.20).

 

EU DEPENDO DA RAÇA DE DEUS


AS QUATRO PROPOSTAS INDECENTES DE FARAÓ

 

Deus tinha em propósito levar o Seu povo para a Terra Prometida depois de um longo período de escravidão em terra estranha.

O propósito de Deus para o povo de Israel, logo após a sua saída do Egito era de Lhe prestar sacrifício no deserto quando estivessem a uma distância que equivalia uma caminhada de três dias. “E ouvirão a tua voz; e irás, tu com os anciãos de Israel, ao rei do Egito, e dir-lhe-eis: O Senhor Deus dos hebreus nos encontrou. Agora, pois, deixa-nos ir caminho de três dias para o deserto, para que sacrifiquemos ao Senhor nosso Deus” (Ex 3.18).

Nos momentos que precederam ao êxodo, Deus manifestou o seu poder diante de Faraó, tocando com várias pragas no que era de mais sagrado para o Egito: Os seus deuses.

A cada praga enviada por Deus era uma ameaça para Faraó e seu império; por isso ele propunha a retirada para o povo de Israel, mas sempre de forma mesquinha.

O poderoso imperador não sabia que Deus não permite que haja qualquer tipo de intervenção humana em seus propósitos, que venham ofuscar o Seu brilho.

O plano original de Deus era a saída do Seu povo para um lugar seguro, depois do longo período de escravidão em terra estranha, de forma completa e sem deixar nada na terra egípcia.

Cada vez que a praga afetava o povo, Faraó satirizava a determinação divina fazendo proposta indecente para Moisés. Quatro tentativas de modificar o plano original foram feitas, mas Moisés tinha colocado no seu coração o desejo de se manter fiel ao Todo-Poderoso.

 

PRIMEIRA PROPOSTA INDECENTE

 

“Ide, e sacrificai ao vosso Deus nesta terra” (Ex 8.25).


Esta foi a primeira sugestão de Faraó mediante a praga das moscas. Moisés recusou dizendo: “Não convém que façamos assim, porque sacrificaríamos ao Senhor nosso Deus a abominação dos egípcios; eis que se sacrificássemos a abominação dos egípcios perante os seus olhos, não nos apedrejariam eles” (Ex 8.26).

Moisés disse para Faraó que o propósito de Deus para o seu povo era uma saída completa: “Deixa-nos ir caminho de três dias ao deserto, para que sacrifiquemos ao Senhor nosso Deus, como ele nos disser” (Ex 8.27).

Deus quer que o sirvamos longe da terra do Egito, que hoje representa o mundo; que sigamos pelo deserto, representado pela nossa caminhada sem os rudimentos deste mundo e tenhamos como alvo a Terra Prometida, o céu a que almejamos.



SEGUNDA PROPOSTA INDECENTE

 

“Deixar-vos-ei ir, para que sacrifiqueis ao senhor vosso deus no deserto; somente que, indo, não vades longe” (Ex 8.28).

Esta proposta “não vades longe” não passa de uma negociata bem no estilo dos soberanos. Faraó negocia um preço mais alto para o Egito, se comparado à proposta anterior, apresentando a Moisés, uma saída com marcha reduzida.

  Por ocasião desta proposta Faraó cinicamente pede oração: “orai também por mim”.

A sugestão de servir ao SENHOR nas proximidades do Egito representa a conversão parcial. È como aquele cristão que está sempre próximo do seu passado, com o coração próximo às coisas do mundo. Deus quer que os Seus servos abandonem o mundo por completo e que fiquem distantes do passado no Egito.



TERCEIRA PROPOSTA INDECENTE


“Deixa ir os homens, para que sirvam ao senhor seu deus” (Ex 10.7)


Por ocasião da ameaça da praga dos gafanhotos, os servos de faraó sugeriram-lhe que se liberassem apenas os homens para a saída do Egito. Faraó chamou a Moisés e lhe perguntou quem deveria sair. Obviamente o Líder de Deus disse que só sairia com todo o povo e o rebanho, porque haviam de celebrar uma festa ao SENHOR. “E Moisés disse: Havemos de ir com os nossos jovens, e com os nossos velhos; com os nossos filhos, e com as nossas filhas, com as nossas ovelhas, e com os nossos bois havemos de ir; porque temos de celebrar uma festa ao Senhor” (Ex 10. 9).

Faraó prometeu libertar apenas dos homens. “Então ele lhes disse: Seja o Senhor assim convosco, como eu vos deixarei ir a vós e a vossos filhos; olhai que há mal diante da vossa face. Não será assim; agora ide vós, homens, e servi ao Senhor; pois isso é o que pedistes. E os expulsaram da presença de Faraó” (Ex 10.10,11).

Ao ver o mal que os gafanhotos traziam, Faraó intercedeu que Moisés orasse.

“Então Faraó se apressou a chamar a Moisés e a Arão, e disse: Pequei contra o Senhor vosso Deus, e contra vós. Agora, pois, peço-vos que perdoeis o meu pecado somente desta vez, e que oreis ao Senhor vosso Deus que tire de mim somente esta morte” (Ex 10.16,17).

Moises orou e Deus lhe atendeu. “E saiu da presença de Faraó, e orou ao Senhor. Então o Senhor trouxe um vento ocidental fortíssimo, o qual levantou os gafanhotos e os lançou no Mar Vermelho; não ficou um só gafanhoto em todos os termos do Egito” (Ex 10.18.19).

Depois de alcançar a misericórdia de Deus, Faraó teve o coração endurecido pelo SENHOR e não liberou o povo. “O Senhor, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não deixou ir os filhos de Israel” (Ex 10.20).

Esta terceira proposta é incompatível com todo princípio bíblico; é a desunião da família, a separação no lar. Deus fez a família para ser unida e o Seu povo para sua glória.

 

QUARTA PROPOSTA INDECENTE


“Ide, servi ao senhor; somente fiquem vossas ovelhas e vossas vacas; vão também convosco as vossas crianças” (Ex 10.24).

 

Depois de muito sofrimento e então sob trevas, Faraó libera todo o povo incluindo as crianças, mas tenta reter as ovelhas e vacas. Moisés profetiza:

“Tu darás em nossas mãos sacrifícios e holocaustos, que ofereçamos ao Senhor nosso Deus e também o nosso gado há de ir conosco, nem uma unha ficará; porque daquele havemos de tomar, para servir ao Senhor nosso Deus; porque não sabemos com que havemos de servir ao Senhor, até que cheguemos lá” (Ex 10. 25,26).

Moisés não estava preocupado apenas em sair do Egito, ele estava pensando mais longe, sua preocupação era o serviço através das ofertas de sacrifício.

Através deste texto bíblico Deus nos tem falado que deseja que O ofereçamos um culto completo, longe do Egito, Com toda a família, juntamente com o Seu povo, com nosso sacrifício de louvor, agradecimento e adoração e com todos os nossos bens. Não vamos ceder às propostas indecentes de Faraó. Vamos à luta, em nome de Jesus.

O povo de Israel saiu do Egito conforme a orientação de Deus.

Faraó, depois de muita luta, liberou o povo conforme o propósito de Deus, sem que nenhumas de suas propostas indecentes fossem acatadas e pede oração outra vez.

“E Faraó levantou-se de noite, ele e todos os seus servos, e todos os egípcios; e havia grande clamor no Egito, porque não havia casa em que não houvesse um morto. Então chamou a Moisés e a Arão de noite, e disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; e ide, servi ao Senhor, como tendes dito. Levai também convosco vossas ovelhas e vossas vacas, como tendes dito; e ide, e abençoai-me também a mim” (Ex 12.30-32).

Deus cumpre a sua palavra na nossa fidelidade.

 

 

 


AVIVAMENTO

Por Enoque Rodrigues Nogueira

AVIVAMENTO

Avivar é:

Tornar mais vivo; excitar, estimular. Tornar mais nítido ou visível; realçar. Tornar mais ativo; apressar. Tornar mais intenso; exacerbar, agravar. Atiçar (o fogo). Cobrar ânimo, vigor; reanimar-se. (DHBO).

Não se pode avivar o que não existe. O crente, mesmo morno, pode ser avivado através da palavra de Deus. O importante é o reconhecimento e humilhação.

Assim, porque és morno, e não és quente nem frio, vomitar-te-ei da minha boca. Porquanto dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta; e não sabes que és um coitado, e miserável, e pobre, e cego, e nu; aconselho-te que de mim compres ouro refinado no fogo, para que te enriqueças; e vestes brancas, para que te vistas, e não seja manifesta a vergonha da tua nudez; e colírio, a fim de ungires os teus olhos, para que vejas. Eu repreendo e castigo a todos quantos amo: sê pois zeloso, e arrepende-te”[ (Ap 3.16-19).

 

TODOS

O líder, os Obreiros, os membros em geral. Não adianta só o pastor estar avivado, ele deve proporcionar meios para que a sua congregação ande conforme a sua diretriz espiritual; a Igreja sempre alcançará a dimensão do seu líder. Não adianta um obreiro tornar-se sozinho um avivado se as suas propostas não alcançarem a Direção, partindo dela a irradiação do avivamento. Muito menos provável de ser bem sucedido no seio da Igreja é o avivamento particular, aliás, isto é bem comum, mas nem sempre não alcança toda a Igreja, por alguns motivos, como o medo de querer aparecer, de ser chamado de santarrão, de querer ser o melhor, etc. O importante e que aconteça um avivamento em todo o corpo da Igreja Local.   

 

CONTINUAMENTE

O crente deve procurar estar avivado constantemente; isto porque, ele não sabe em que momento enfrentará alguma adversidade, tentação ou necessidade de Poder para usar em nome de Jesus.

 “Em todo tempo sejam alvas as tuas vestes, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça” (Ec 9.8). “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1 Co 15.58)

 

EM TODOS OS LUGARES

Na Igreja. O avivado é o crente que vai aos cultos e se beneficia dele em todos os detalhes; está atento à voz do Espírito e não perde o seu tempo observando gafes ou outras coisas.

Na escola. O crente avivado é um exemplo na escola e honra o nome do SENHOR e por isso Deus o recompensa, com aprendizagem facilitada, boas notas e vitórias em concursos e faço misericórdia em milhares aos que me amam e guardam os meus mandamentos.”(Dt 5.10).

No trabalho.  A diferença entre um crente avivado e um outro pode ser claramebnte vista pelos comportamentos; enquanto o comum reclama, faz corpo mole não cumpore horário, o avivado glorifica a Deus, é pontual e trabalha pra valer. Este trabalha, não só para agradar ao seu patrão, mas a Deus.

“Vós, servos, obedecei a vosso senhor segundo a carne, com temor e tremor, na sinceridade de vosso coração, como a Cristo, não servindo à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus; servindo de boa vontade como ao Senhor e não como aos homens, sabendo que cada um receberá do Senhor todo o bem que fizer, seja servo, seja livre” (Ef 6.5-8).

Em casa. O crente avivado é um exemplo para a sua família; funciona como a brasa vida da churrasqueira onde o carvão úmido é aquecido e torna-se combustível. As pessoas da família recebem influência direta do tipo de vida cristã de um membro. “Em tudo, te dá por exemplo de boas obras; na doutrina, mostra incorrupção, gravidade, sinceridade” (Tt 2.7).

Na sociedade. O crente avivado é reconhecido na sociedade; ganha títulos de Bíblia, irmão, pastor; é um agende de Deus para os problemas sociais que se enfrentam. Quando não há mais esperança para alguém que sofre, só mesmo o avivado pode cumprir com a missão que lhe foi proposta. O crente avivado é elogiado pelos ímpios “Porque não é aprovado quem a si mesmo se louva, mas, sim, aquele a quem o Senhor louva.” (2 Co 10.18).

 

POR QUÊ

Para que ser avivado?

Para vencer as tentações. O crente avivado tem o escape. “Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que vos não deixará tentar acima do que podeis; antes, com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar” (1 Co 10.13)

Para suportar e vencer as lutas. Só conseguimos vencer pela fé e só a conseguimos através da palavra “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” (Rm 10.17). Se o crente ouve a palavra, adquire fé, se tem fé, vence o mundo. “Porque todo o que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé” (1 Jo 5.4);

Para prosseguir em direção ao alvo Prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus(Fp 3.14).

Para fazer a diferença. Deus derrama do Seu Espírito sobre o crente para que ele se torne uma pessoa diferente; sim, um exemplo entre outros fiéis. “Ninguém despreze a tua mocidade; mas sê o exemplo dos fiéis, na palavra, no trato, na caridade, no espírito, na fé, na pureza” (1 Tm 4.12).

Para ser atuante e alcançar as metas. Existe uma grande distância entre o querer e o fazer; entre a teoria e a prática. Um crente comum tem muitas “idéias” e ótimos projetos, mas só poderão torná-los realidade se forem cheios do Espírito Santo. O avivado pode alcançar as suas metas porque é mais vivo, tem estímulo, é ativo, intenso, animado e vigoroso. “Olha, pois, agora, porque o SENHOR te escolheu para edificares uma casa para o santuário; esforça-te e faze a obra” (1 Cr 28.10)

 

COMO

Confessando “Confessai as vossas culpas uns aos outros e orai uns pelos outros, para que sareis” (Tg 5.16);

Orando “a oração feita por um justo pode muito em seus efeitos” (Tg 5.16). Perseverai em oração, velando nela com ação de graças (Cl 4.2)

Meditando na Palavra de Deus Antes, tem o seu prazer na lei do SENHOR, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Sl 1.2);

Enchendo do Espírito Santo E não vos embriagueis com vinho, no qual há devassidão, mas enchei-vos do Espírito” (Ef 5.18).

 

QUANTO CUSTA

Nenhum centavo – O avivamento como as coisas do Reino de Deus foram pagas com o preço do próprio Jesus.

Porque há um só Deus e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo, homem, o qual se deu a si mesmo em preço de redenção por todos, para servir de testemunho a seu tempo” (1 Tm 2.5,6); sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado (1 Pe 1.18,19)

O Espírito Santo está sempre à disposição de todos e quer avivar a todos os Seus servos. A nós, basta a renúncia, predisposição, coragem e vontade.


DEUS NÃO DESISTE DE NÓS

Por: Enoque Rodrigues Nogueira

A PALAVRA do Senhor, que veio a Jeremias, dizendo: Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras. E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas, como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer. Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel. (Jr 18. 1-6).

 

PANO DE FUNDO

 

A Criação

Deus formou o Ser humano com inteligência e arbítrio (Gn 1.26, 2.20), para ser reconhecido, honrando, louvado e adorado sobre tudo e todos, (Cl 1.16).

O cuidado especial de Deus se manifestou na preparação de habitat perfeito, (2.8-15);

Deus Instituiu a família pelos laços do casamento entre um homem e uma mulher, (Gn 2.27-28);

Deus mantinha relacionamento diário com a Primeira Família, (Gn 3.8);

Deus deu todas as condições de uma vida prazerosa e fez somente uma exigência: Obediência, “Mas da árvore do conhecimento do bem e do mal, dela não comerás; porque no dia em que dela comeres, certamente morrerás” (Gn 2.17).

Lei de um só parágrafo - Havia milhares de árvores permitidas no Jardim, inclusive a da Vida Gn 3. 9), mas o casal optou por tocar na única proibida, “E viu a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento; tomou do seu fruto, e comeu, e deu também a seu marido, e ele comeu com ela” (Gn 3.6).

Consequências do pecado, o castigo de Deus:

  • Sobre a serpente, (Gn 3.14);

  • Sobre a mulher, (Gn 3.16);

  • Sobre o homem, (Gn 3.17-19);

  • Sobre a Terra (Gn 3.17).

    As maiores perdas:

    O afastamento do Criador, “O Senhor Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado” (Gn 3.23).

    O Paraíso fica distante; “E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida” (Ap 3.24).

    Inveja e assassinato; “... Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao Senhor, (Gn 4.3); “E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o Senhor para Abel e para a sua oferta” (Gn 4.4); “e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou” (Gn 4.8.

    Degradação irreversível da moral, a Terra entrou em colapso; (Gn 6.1-5).

    DEUS SE ARREPENDEU DE TER FEITO O HOMEM

      “Então arrependeu-se o Senhor de haver feito o homem sobre a terra e pesou-lhe em seu coração” (Gn 6. 6). MAS...

    DEUS NÃO DESISTIU DE SUA OBRA PRIMA

    O Juízo de Deus e o recomeço em Noé e sua família; O Dilúvio, (Gn 7.18-22).

    O PAC 2318 a. C. (Plano Aceleramento do Crescimento); “E abençoou Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra” (Gn 9.1).

    Os descendentes de Ninrode tentaram contradizer a Jeová: “...  Eia, edifiquemos nós uma cidade e uma torre cujo cume toque nos céus, e façamo-nos um nome, para que não sejamos espalhados sobre a face de toda a terra” (Gn 11. 3,4).

    Deus frustrou os planos da turma de Ninrode: Confundiu a língua para que não continuassem no intento, “... Assim o Senhor os espalhou dali sobre a face de toda a terra; e cessaram de edificar a cidade” (Gn 11.7,8).

    Com a comunicação comprometida pela presença dos idiomas, Deus cria um plano de Salvação: A bênção de Abraão; (Gn 12.1-3).

    Jacó, neto de Abraão, recebeu a promessa de que o Salvador seria descendente de Judá, um de seus 12 filhos, (Gn 49.10).

    Por causa da extrema fome, Deus usou a José para levar Israel, sua família e agregados para o Egito; (Gn 47. 6).

    O faraó-amigo morreu; o faraó da nova dinastia, não conhecendo a história de José, escravizou o Povo (Gn 1. 8-11).

    Deus chamou, capacitou e deu autoridade a Moisés para tirar o Povo do Egito (Ex 3. 10).

    1462 a. C. A grande saída do Egito. (Gn 12. 30-37).

    A saída do Egito representa o momento de nossa conversão;

    A Longa jornada à Terra Prometida, a nossa vida cristã.

    A entrada na Terra Prometida, o Arrebatamento da Igreja.

     

    A LONGA E DIFÍCIL JORNADA DE ISRAEL

    A caminhada não foi fácil, havia entre eles velhos, doentes, feridos, deficientes físicos, crianças, bebês e gestantes.

    Grandes cargas tinham de levar, como utensílios, material para tendas e alimentos. Haviam pessoas de todos os tipos de personalidades, extrovertidos, introvertidos, pensadores, sentimentais, reflexivos.

    O percurso era difícil, apareciam os contratempos entre o próprio povo, os perigos de enfrentamento com adversários, mudanças no meio ambiente, presença dos estrangeiros,[1] adoradores a deuses.

     

    DEUS APROVEITOU A DIFÍCIL CAMINHADA PARA MODELAR O SEU POVO

     Moisés e a Lei. Deus estava traçando regras de conduta não só para os israelitas, mas também para todos os agregados;

    Mostrou a Sua glória e poder através dos sinais e maravilhas;

    Apresentou a Lei da Recompensa, (Dt 28);

    Praticava a justiça aplicando a correção, sempre que o Povo pecava;

    A posse, Disse mais o Senhor a Josué: Hoje retirei de sobre vós o opróbrio do Egito; por isso o nome daquele lugar se chamou Gilgal, até ao dia de hoje.  Estando, pois, os filhos de Israel acampados em Gilgal, celebraram a páscoa no dia catorze do mês, à tarde, nas campinas de Jericó” (Js 5. 9, 10).

     

    DA POSSE ATÉ AO GOVERNO DO MESSIAS DEUS SEMPRE CORRIGIU O SEU POVO, MAS NUNCA DESISTIU NEM DESISTIRÁ DELE, COMO NÃO DESISTIRÁ DE NÓS

    O Povo era advertido sobre os seus pecados e corrigiam as suas atitudes, mas depois voltavam a errar.

    Na era dos Juízes o povo se corrompia, mas Deus levantada um líder para dirigi-lo;

    Várias vezes Deus falou pela boca dos Seus profetas, mas o Povo voltava-se para Deus por um empo, mas depois voltava à pratica pecaminosa;

    Deus sempre criava um jeito de trazer o Seu Povo para Si;

    Por último já não mais obedeciam a voz de Deus. Jeremias profetizou:  Em vão castiguei os vossos filhos; eles não aceitaram a correção” (Jr 2. 18-30).

    O profeta Ezequiel falou da individualidade da Salvação. (Ez 18. 2, 21, 22, 24)

    Isaias profetizou a respeito de Jesus, “Eis que a virgem conceberá, e dará à luz um filho, e chamará o seu nome Emanuel.” (Is 7. 14).

    HOJE, PASSAMOS PELO PROCESSO DE PURIFICAÇÃO E NOS TORNAMOS FILHOS DE DEUS

     

    Jesus chegou até nós, “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome; (Jo 1. 11,12).

    Ouvimos o Toque do Espírito Santo convencendo do erro (Jo 16.8);

    Arrependemo-nos de nossos pecados cometidos; (Mt 1.15; 1Jo 1.9);

    Encontramo-nos com Jesus; (Jo 6.37);

    Confessamos que Cristo ressuscitou dentre os mortos; (Rm 10.9);

    “Perseveramos” na fé em Jesus por um tempo, (Mt 24.13).

    Ganhamos um novo nome, (Ap 2.7);

    Mas pela nossa natureza pecaminosa, nem sempre nós permanecemos firmes no primeiro amor.

    “Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade.” (1 Jo 1. 6), MAS... DEUS NÃO DESISTE DE NÓS

     


COMO O BARRO NA MÃO DO OLEIRO, ASSIM SOMOS NA MÃO DE DEUS (Jr 18. 5).

 

606 a C. - O profeta Jeremias apresentou alguns profetas, como Miqueias que em 744 a.C. profetizou sobre a ruina de Jerusalém; (Jr 26. 17-19):

606 a. C. - A Deus manda Jeremias observar a obediência dos recabitas ao mandamento humano e o desleixo de Judá em relação aos mandamentos de Deus, (Jr 35).

606 a. C. -  O tempo de angústia começa em Judá; (Jr 25. 29)

605 a. C. - Começa o cerco e início do Cativeiro (época em que Daniel foi levado para o exílio); (Dn 1. 3).

604 a C. – Uma mensagem fortíssima de Jeová foi queimada pelo rei, depois reescrita com todo o conteúdo e mais outras palavras ainda, (Jr 36. 10-32)

604 a C. - O Cinto de linho: Do mesmo modo que apodreceu Judá também o será; (Jr 13. 14).

603 a. C. – Deus manda Jeremias descer à Casa do Oleiro

A Palavra do Senhor, que veio a Jeremias, dizendo: Levanta-te, e desce à casa do oleiro, e lá te farei ouvir as minhas palavras. E desci à casa do oleiro, e eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas, como o vaso, que ele fazia de barro, quebrou-se na mão do oleiro, tornou a fazer dele outro vaso, conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer.

Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel. (Jr 18. 1-6).


DEUS NÃO DESISTE DE NÓS

Ele vai nos moldar do jeito que Ele quer, mesmo que seja necessário ser amassado de novo.

“A palavra do SENHOR, que veio a Jeremias, dizendo: Levanta-te, e desce à casa do oleiro, E lá te farei ouvir as minhas palavras.” (1, 2;. Deus é Soberano. Fala O Que, Por Que, Onde, Quando, A Quem e Como quiser;

“E desci à casa do oleiro”, (3); O profeta obedeceu;

“E eis que ele estava fazendo a sua obra sobre as rodas” (3); Modelar um vaso de valor é um trabalho difícil que requer destreza;

http://comps.canstockphoto.com/can-stock-photo_csp8889545.jpg

“Como o vaso, que ele fazia de barro” (4); O barro se tornaria um vaso, ainda rústico, informe, e sem valor;

“Quebrou-se na mão do oleiro” (4): Não resistiu ao aperto da conformação, à extrusão, ou aos sulcos; Quebrou-se; muito diferente de Foi quebrado;

“Tornou a fazer dele outro vaso” (4); Significa que, assim como Judá seria restaurado, nós também o seremos. O barro voltou ao processo de amassamento para retirada das bolhas e foi outra vez para a roda;

“Conforme o que pareceu bem aos olhos do oleiro fazer” (4); É do jeito que o Soberano quer;

A MENSAGEM PARA A CASA DE ISRAEL HOJE SIGNIFICA  IGREJA

“Então veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: Não poderei eu fazer de vós como fez este oleiro, ó casa de Israel? diz o Senhor. Eis que, como o barro na mão do oleiro, assim sois vós na minha mão, ó casa de Israel” (5, 6)

Somos hoje a casa de Israel, o evangelista João testificou dizendo: “Veio para o que era seu, e os seus não o receberam. Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome;” (Jo 1. 11, 12).

O apostolo Paulo também afirmou: “Como também nos elegeu nele antes da fundação do mundo, para que fôssemos santos e irrepreensíveis diante dele em amor; e nos predestinou para filhos de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de sua vontade, para louvor e glória da sua graça, pela qual nos fez agradáveis a si no Amado” (Ef 1. 4-6)

Então seremos tratados como barro na mão do Oleiro.

 

CONCLUSÃO:

Deus ameaça uma destruição. Não nos arrependermos Deus muda a sentença de destruição e NÃO NOS DESTRÓI; “No momento em que falar contra uma nação, e contra um reino para arrancar, e para derrubar, e para destruir, Se a tal nação, porém, contra a qual falar se converter da sua maldade, também eu me arrependerei do mal que pensava fazer-lhe” (Jr 18. 7, 8)

Deus promete nos abençoar, porém todas as Suas promessas SÃO CONDICIONAIS. Isto é: Dependerá de nossa condição de fidelidade “No momento em que falar de uma nação e de um reino, para edificar e para plantar, se fizer o mal diante dos meus olhos, não dando ouvidos à minha voz, então me arrependerei do bem que tinha falado que lhe faria”; (Jr 18. 9, 10).

 

Então, para recebermos as Bênçãos de Deus temos que ter ATITUDE

Havia na programação de Deus a destruição de Judá pela Babilônia. “Ora, pois, fala agora aos homens de Judá, e aos moradores de Jerusalém, dizendo: Assim diz o Senhor: Eis que estou forjando mal contra vós; e projeto um plano contra vós; convertei-vos, pois, agora cada um do seu mau caminho, e melhorai os vossos caminhos e as vossas ações.” (Jr 11. 11)

As ameaças de Deus são CONDICIONAIS. O grande exemplo foi o episódio de Jonas. “... Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânime e grande em benignidade, e que te arrependes do mal” (Jn 4. 2).

O povo estava determinado em permanecer no pecado, mesmo sob ameaça de destruição.

 “Mas eles dizem: Não há esperança, porque andaremos segundo as nossas imaginações; e cada um fará segundo o propósito do seu mau coração”. (Jr 18. 12)

Judá não se converteu de seu mal caminho, foi destruída 17 anos depois, em 586 a. C.

Hoje acontece da mesma forma: O Espírito Santo cumpre a sua missão 'E, quando ele vier, convencerá o mundo do pecado, e da justiça e do juízo' (Jo 16. 8), mas nem todos se rendem ao SENHOR.

 

EM JEREMIAS TEMOS DOIS TIPOS DE VASOS:

O episódio de Jeremias 18 - Representa a Graça, isto é: Deus sempre nos corrigirá para chegarmos junto Dele, “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.” (1 Jo 1. 9)

O episódio de Jeremias 19 - Representa o Juízo, isto é: Deus aplicará sobre nós o Juízo Final; “O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio.” (Pv 29. 1).

Um vaso depois de formatado e decorado é levado ao forno. Em resistindo o calor não se trincando é considerado aprovado e não pode mais quebrar-se, pois se tornará em cacos, para nada mais servirá, nem mesmo como resíduo e sim, lixo.

DEUS NÃO DESISTE DE NÓS. ENQUANTO ESTAMOS NA GRAÇA NA GRAÇA, HÁ ESPERANÇA PARA NÓS.

 

O único pecado sem perdão é a blasfêmia contra o Espírito Santo, “E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á perdoada, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não lhe será perdoado” (Lc 12. 10).

Blasfemar contra Deus é tão difícil quanto definir o seu significado;

Blasfemar contra o Espírito Santo é difícil porque o próprio Espírito Santos nos convence de que Ele é Deus. Mas se insistirmos na infâmia, Ele se sentirá preterido e poderá se sentir desclassificado, “O HOMEM que muitas vezes repreendido endurece a cerviz, de repente será destruído sem que haja remédio” (Pv 29. 1).

Imagine alguém com uma dívida impagável e aparece uma pessoa desconhecida e oferece pagar para você. Talvez o endividado não aceite por não saber a intenção do pagador. Mas o pagador insiste por um tempo e então o contemplado depois de conhecer o pagador, aceita o pagamento.

Noutra situação o pagador insiste e o endividado não lhe dá crédito. O devedor permanecerá com a dívida, mesmo tendo alguém que pode e está disposto a pagar sem interesse em nenhum retorno.

Assim é Jesus, em relação aos nossos pecados e nossa vida no Céu, a diferença é que Ele não vai pagar. Ele pôde e já pagou por nós na Cruz, mas precisamos crer.

Da mesma forma que o pagador desistirá se você o desprezar, Jesus dará fim ao processo de salvação quando morrermos ou no Arrebatamento da Igreja.

 

DEUS QUER NOS MODELAR COMO O BARRO PARA FAZER DE NÓS UM VASO ÚNICO E DE MUITO VALOR

“... Fala o Senhor, o que estende o céu, e que funda a terra, e que forma o espírito do homem dentro dele” (Zc 12. 1). “Porque fostes comprados por bom preço...” (1 Co 6. 20)

DEUS NÃO DESISTE DE NÓS

PARA NOS FAZER UM VASO DE VALOR NÃO POUPARÁ ESFORÇO EM NOSSO FAVOR

“E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também” (Jo 5. 17)

 

O projeto:

Ter necessidade;

Querer fazer;

Poder fazer;

Estabelecer o local de uso.

Idealizar (Representação que se forma no espírito): a) Tamanho; b. Formato; c. Detalhes;

Etapas do processo de fabricação:

Procurar o barro;

Retirar em pasta ou torrões;

Transportar para a olaria;

Jogar no triturador com água;

Moê-lo até se tornar uma mistura homogênea;

Colocá-lo preso sobre a roda;

Enquanto a roda gira pressionar com as mãos úmidas com movimentos suaves e pressão adequada; não pode parar a roda do Oleiro;

Na fabricação de um vaso nobre o barro sofre muito maior pressão; um vaso rústico nunca se quebra;

Quanto mais próximo do término da obra, maior o risco de se quebrar;

Depois de concluído o formato e alisamento, usa-se um estilete para fazer os frisos; o grande momento final, se riscar muito fundo quebra, se muito raso não tem beleza;

 Em se quebrando em qualquer momento da fabricação, poderá ser reprocessado a partir do triturador;

Depois de concluído vai ser provado no fogo do forno;

Ficando sem trincas estará pronto (sincero)

Em se quebrando depois de queimado vira lixo, pior do que resíduo.

 

Texto disponível em http://www.enoque.com.br/site/55/pg5.asp



[1] “E subiu também com eles muita mistura de gente, e ovelhas, e bois, uma grande quantidade de gado.” (Ex 12. 38).


10 OBRIGAÇÕES CONTÍNUAS DO CRISTÃO

Por Enoque Rodrigues Nogueira

 

1 – LOUVAR AO SENHOR.

“Louvarei ao Senhor em todo o tempo; o seu louvor estará continuamente na minha boca” (Sl 34.1).

Muitas vezes ouvi alguém antes de entoar um hino na Igreja dizer: ”Vou louvar a Deus com um hino porque estou muito alegre” ou “vou louvar um hino (sic) porque Jesus me deu vitória na prova”.

 Devemos louvar a Deus pelas vitórias sim, mas devemos nos lembrar que o SENHOR é digno de todo o nosso louvor, independente de estarmos na bênção ou na provação. “Grande é o Senhor, e muito digno de louvor, e a sua grandeza inescrutável” (Sl 145.3).

Louvar a Deus é elogiá-Lo de alguma forma, não somente através de hinos ou canção; podemos declarar para Deus com liberalidade e em quaisquer circunstâncias frases e expressões como fez o justo Jó: “Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido” (Jó 42.2). Portanto, em quaisquer circunstâncias Deus deve ser sempre louvado porque tem dignidade.

 

2 – VIGIAR.

“Não durmamos, pois, como os demais, mas vigiemos, e sejamos sóbrios” (1 Ts 5.6); “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia nem a hora em que o Filho do homem há de vir” (Mt 25. 13).

Temos ouvido pela mídia notícias sobre roubos, assassinatos e estupros que foram facilitados pela falta de vigilância dos policiais, dos vigilantes, e também dos pais omissos. Sem vigilância não se pode garantir um mínimo de segurança. Todos ficam entregues à sorte.

A falta de vigilância não se aplica somente no caso da ausência de um vigilante; o descuido de quem vigia também não garante a integridade de um bem ou de uma pessoa. Da mesma forma, nós devemos vigiar para não pecarmos, pois não sabemos a que hora vem o Nosso SENHOR para levar-nos para o Céu. “Bem-aventurados aqueles servos, os quais, quando o Senhor vier, achar vigiando! Em verdade vos digo que se cingirá, e os fará assentar à mesa e, chegando-se, os servirá” (Lc 12.37).

 

 

3 – ORAR.

“Orai sem cessar” (1 Ts 5.17)

A oração é um meio de comunicação do homem para Deus. É certo que Ele está atento à oração do Justo “Os olhos do Senhor estão sobre os justos, e os seus ouvidos atentos ao seu clamor” (Sl 34.15).

Para orar continuamente não precisamos dobrar os joelhos ou fechar os olhos como fazemos no templo; podemos orar no pensamento, como Jesus ensinou. “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente” (Mt 6.6).

O Filho de Deus orava. “E aconteceu que naqueles dias subiu ao monte a orar, e passou a noite em oração a Deus” (Lc 6. 12).

Motivo de Oração.

Meu amado, se a tua relação for pequena, procura uma lista de pessoas que perderam documentos, de desaparecidos, de prisioneiros, de menores sem pais, enfim descubra uma fonte de motivos de oração.

4 – MEDITAR NA PALAVRA DE DEUS.

Tão-somente esforça-te e tem mui bom ânimo, para teres o cuidado de fazer conforme a toda a lei que meu servo Moisés te ordenou; dela não te desvies, nem para a direita nem para a esquerda, para que prudentemente te conduzas por onde quer que andares. Não se aparte da tua boca o livro desta lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme a tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido (Js 1.7,8).

Uma vida cristã consistente só é possível se meditarmos continuamente na Palavra de Deus. Devemos ler a Bíblia com a máxima atenção e depois trazermos o assunto no decorrer do dia à nossa memória e meditarmos. Já ouvi um professor dando como exemplo o ruminar de um boi que se deita no canto do pasto e o alimento sobe do estômago à boca para mastigá-lo outra vez. Assim, podemos meditar durante todo o tempo, isto é nos intervalos das nossas atividades; podemos meditar ao volante, varrendo a casa, aguardando atendimento numa fila, enfim, em tantos momentos que nos parecem ociosos.

Por que existe o manual do fabricante? Por que existe livro de receitas? Podemos observar que certas pessoas que só fazem cinco ou até dez tipos de doces, mas guardam as receitas escritas. Existem receitas tão simples que aparentemente não precisaríamos ter nada escrito, mas para garantir a boa qualidade do produto, as guardamos.

Da mesma forma que lemos manuais, métodos e receitas para conferirmos o procedimento na hora de consertarmos uma máquina ou fazermos um doce, devemos ler a Bíblia. A novela e a leitura da Bíblia:

Na Assembléia de Deus na Penha não tem nenhum membro com hábito de assistir novela, mas eu deve haver no Brasil pelo menos um evangélico que acompanha sistematicamente uma novela que chega durar 80 minutos um capítulo. Pois bem, se este telespectador ler diariamente a Bíblia por uma hora, ele terá lido toda a Bíblia em apenas dois meses.

Meu irmão que ainda não teve oportunidade de ler toda a Bíblia; leia-a na condução ou nas filas de espera; é prazeroso, faz bem a alma e dá condições de meditar continuamente. Lembra-te! A leitura contínua da Bíblia nos afasta do pecado.

“Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.” (Sl 119.11).

 

5 – TER VESTES ALVAS.

“Em todo o tempo sejam alvas as tuas roupas, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça” (Ec 9.8).

Indumentária. Temos visto os extremos, enquanto numa determinada Igreja Local não há qualquer diretriz sobre o assunto, em outra se vestem com paletó e colete e as mulheres cobrem até aos tornozelos. Este assunto é polêmico produz mais frustração do que a cura da alma. Por isso, deixo-o para os maridos, esposas, pais, pastores e comandantes. Prefiro comentar sobre outro tipo traje: “as vestes alvas”.

O crente deve estar adornado continuamente com as 'vestes alvas' espirituais, reflexo da prática cristã; o que emana do seu interior para o exterior e o resultado do contínuo julgamento intrínseco, com ajuda do Espírito Santo.

A conduta do crente é observada por todos; somos julgados por cada atitude. Não adianta ser um excelente profissional diante do patrão e ser infiel na declaração do imposto de renda; não adianta ser pontual na entrada da escola e em sala de aula não dar exemplo de servo do SENHOR.

 

6 – TER O ÓLEO SOBRE A CABEÇA.

“Em todo o tempo sejam alvas as tuas roupas, e nunca falte o óleo sobre a tua cabeça” (Ec 9.8).

A Bíblia fala de diversos tipos de óleo, mas o óleo que não pode faltar na vida do crente é o óleo unção. “E vestirás com eles a Arão, teu irmão, e também seus filhos; e os ungirás e consagrarás, e os santificarás, para que me administrem o sacerdócio” (Ex 28. 41).

A unção como capacitação é indispensável na vida do crente porque a qualquer momento ele pode deparar com uma situação onde tenha que tomar atitude ou defender o Evangelho de Jesus.

Não existe 'unciômetro', mas a unção e ser percebida na pregação, no entoar um hino de louvor a Deus, no procedimento diante de um problema, enfim, na conduta social.

O crente deve ter a unção para que possa estar inteirado dos acontecimentos do mundo espiritual. “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo” (1 Jo 2.20).

7 – REALIZAR AS OBRAS DE DEUS.

“Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor” (1 Co 15.58).

Deus nos chamou por ordem, para a salvação e para a prática do amor. O exercício do amor são as obras. A obra principal é a evangelização, mas para isto precisamos conhecer qual é anosa missão específica. Muitas pessoas se empolgam diante de um novo projeto e parte com toda a força para executá-lo, mas em tempo curto desanimam e abandonam a obra.

Paulo recomendou a tríade, com exemplos:

Firme - Visita na casa da vovó, (tem base bíblica);

Constante - Visita na casa da vovó, aos domingos;

Abundante - Visita na casa da vovó, aos domingos, levando um violão, uma equipe de senhoras, etc.

Amados, vamos fazer a obra de Deus continuamente, “E Jesus lhe disse: Ninguém, que lança mão do arado e olha para trás, é apto para o reino de Deus” (Lc 9.62).

 

 

8 – PREGAR O EVANGELHO.

“Conjuro-te, pois, diante de Deus, e do Senhor Jesus Cristo, que há de julgar os vivos e os mortos, na sua vinda e no seu reino, que pregues a palavra, instes a tempo e fora de tempo, redarguas, repreendas, exortes, com toda a longanimidade e doutrina” (2 Tm 4. 1,2)

Para pregar continuamente na fábrica teríamos que desligar a máquina? Na plataforma de petróleo, provocar um Shutdown? No taxi, parar o carro? Com certeza a resposta é Não para todas as perguntas. O crente deve pregar continuamente aproveitando as questões da vida, as oportunidades, os eventos e até mesmo os momentos difíceis que deparamos.

Meus queridos leitores; poderíamos preencher muitas páginas se fôssemos enumerar as oportunidades que Deus nos deu a Palavra aproveitando aos momentos da vida. Ora Deus tem muito mais para nos oferecer.

Vamos pregar o santo Evangelho a tempo e fora de tempo, quer ouçam ou deixem de ouvir.

9 – TER FÉ.

“Porque nele se descobre a justiça de Deus de fé em fé, como está escrito: Mas o justo viverá da fé” (Rm 1.17)

Na versão mais simplificada a fé se divide em: natural e sobrenatural. A natural é inata e sobrenatural adquire-se. A fé que não pode faltar em nenhum momento da vida do crente é a sobrenatural, que vem de Deus ao recebermos de alguma forma a Sua Palavra.

A fé é imprescindível na vida cristã e não pode faltar em nenhum só momento. Não oraríamos se não confiássemos na resposta de Deus. Não seríamos servos de Deus se não crêssemos que Ele é o nosso SENHOR. “ORA, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não vêem” (Hb 11.1).

A fé nos dá antecipadamente o sentimento da vitória. É um componente divino que nos dá a sensação de abstração do tempo entre uma promessa é sua realização.

 

10 – REGOZIJAR.

“Regozijai-vos sempre” (1 Ts 5.16).

Regozijar significa alegrar muito; ter extremo prazer.

Você que está em luta, mesmo nesta adversidade pode regozijar; porque Deus está no controle da sua vida. Entre no seu quarto ou em um lugar reservado, ore a Deus sem pressa; deixe as lágrimas inundarem os seus  olhos até rolar pela sua face e gotejar na cama, no sofá, ou na cadeira ou no chão; chore abundantemente diante de Deus reconhecendo a sua fragilidade suplique a misericórdia de Deus o atenderá.

A você que está na bonança e tem regozijado pelo que Deus tem feito; continue assim; não se acostume com as vitórias para que não pense que são naturais ou como produto do trabalho das suas mãos; glorifique ao  SENHOR regozijando continuamente.

 Nós devemos regozijar no SENHOR por tudo., principalmente pela salvação que Jesus pagou por nós na cruz.

 

 


O CRENTE FIEL NÃO É PECADOR

Uma análise do salmo 51.1-10

Por Enoque Rodrigues Nogueira, Rio, 9 de junho de 2006

 

Os dez primeiros versículos do salmo 51 nos mostram algumas verdades que não podem ser desprezadas. Numa visão macro, temos duas partes: na primeira (versículos 1-9) temos a apresenta da natureza humana e as formas de regeneração; na segunda (versículo 10), vemos o ser humano rendendo-se a Deus, pedindo-Lhe um coração novo. Em uma visão pormenorizada vemos a manifestação humana de sua humilhação, reconhecimento e confissão do seu pecado, sua natureza pecaminosa, declaração da excelência e reconhecimento da eficácia do poder de Deus na purificação, anseio do homem pela alegria verdadeira, sentimento de culpa e por fim, um grito por mudança.

Este tem como objetivo, contribuir com algumas referências de outras partes da Bíblia.

 

1 - TEM MISERICÓRDIA DE MIM, Ó DEUS, SEGUNDO A TUA BENIGNIDADE;

O salmista roga à infinita e vital misericórdia de Deus. Jeremias disse: “As misericórdias do Senhor são a causa de não sermos consumidos, porque as suas misericórdias não têm fim” (Lm 3.22). A benignidade de Deus é citada em toda a Escritura. Pedro escreveu: “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo se é que já provastes que o Senhor é benigno” (1 Pe 2.2,3).

APAGA AS MINHAS TRANSGRESSÕES, SEGUNDO A MULTIDÃO DAS TUAS MISERICÓRDIAS.

Só mesmo a misericórdia (compaixão pela desgraça alheia[1]) de Deus pode substituir a nossa culpa “Porque serei misericordioso para com suas iniqüidades, E de seus pecados e de suas prevaricações não me lembrarei mais” (Hb 8.12).

 

2 - LAVA-ME COMPLETAMENTE DA MINHA INIQÜIDADE, E PURIFICA-ME DO MEU PECADO.

A Bíblia não diz que o sangue de Jesus é eficaz e para nos purificar de alguns pecados, pelo contrário, de todos; pois, com certeza somos lavados no corpo, na alma e no espírito. “Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.” (1 Jo 1.7).

 

3 - PORQUE EU CONHEÇO AS MINHAS TRANSGRESSÕES

O grande passo para que possamos obter o perdão de Deus é o reconhecimento, que pode ser manifestado através da confissão. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça” (1Jo 1.9).

E O MEU PECADO ESTÁ SEMPRE DIANTE DE MIM. (O CRENTE NÃO É PECADOR)

A presença constante do pecado diante do crente não significa que ele é pecador, mas que está sujeito ao pecado. Um mecânico de refrigeração faz uma soldagem sempre que surge uma necessidade, mas não a faz constantemente; de forma diferente, o soldador a faz continuamente. A atividade-fim do mecânico de refrigeração é manutenção e esporadicamente usa solda; o soldador vive na prática de soldagem. Em analogia: o crente que tem por premissa adorar a Deus peca, porém o ímpio é pecador por natureza; o primeiro tem consciência do pecado o segundo não acha que está pecando.

 

4 - CONTRA TI, CONTRA TI SOMENTE PEQUEI, E FIZ O QUE É MAL À TUA VISTA PARA QUE SEJAS JUSTIFICADO QUANDO FALARES, E PURO QUANDO JULGARES.

Davi está confessa aqui o seu terrível pecado, registrado no capítulo onze do segundo livro de Samuel. O apóstolo Paulo disse: “Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço” (Rm 7.19). Devemos, portanto vigiar “Vigiai e orai, para que não entreis em tentação; na verdade, o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mt 26.41). Paulo cita esta sentença quando escrevendo: “sempre seja Deus verdadeiro, e todo o homem mentiroso; como está escrito: Para que sejas justificado em tuas palavras, e venças quando fores julgado” (Rm 3.4).

 

5 - EIS QUE EM INIQÜIDADE FUI FORMADO, E EM PECADO ME CONCEBEU MINHA MÃE.

Não há saída; a nossa natureza pecaminosa é herança do primeiro casal. “Portanto, como por um homem entrou o pecado no mundo, e pelo pecado a morte, assim também a morte passou a todos os homens por isso que todos pecaram” (Rm 5.12).

 

6  - EIS QUE AMAS A VERDADE NO ÍNTIMO

Davi em louvor a Deus diz: “Nas tuas mãos encomendo o meu espírito; tu me redimiste, Senhor Deus da verdade” (Sl 31.5).

E NO OCULTO ME FAZES CONHECER A SABEDORIA

Deus revela a sua sabedoria em particular. “O segredo do Senhor é com aqueles que o temem; e ele lhes mostrará a sua aliança” (Sl 25.14).

 

7 - PURIFICA-ME COM HISSOPE, E FICAREI PURO

Davi pode ter referido o hissopo[2] como nos escritos de Moisés: “Então tomai um molho de hissopo, e molhai-o no sangue que estiver na bacia, e passai-o na verga da porta, e em ambas as ombreiras, do sangue que estiver na bacia; porém nenhum de vós saia da porta da sua casa até à manhã” (Ex 12.2); mas como planta medicinal tem efeitos curadores[3]

LAVA-ME, E FICAREI MAIS BRANCO DO QUE A NEVE.

Deus, usando o profeta Isaías, convida o Seu povo a purificar-se, praticar a retidão, ajudar ao oprimido e garante que podemos ser embranquecidos: “Vinde então, e argüi-me, diz o Senhor: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã” (Is 1.18).

 

8 - FAZE-ME OUVIR JÚBILO E ALEGRIA, PARA QUE GOZEM OS OSSOS QUE TU QUEBRASTE

Quando estamos em condição contrária ao curso normal, em crises e provações, tornamo-nos mais distantes do júbilo, como o salmista falou pela boca do seu povo que estava no exílio, sob o jugo da babilônia: “Como cantaremos a canção do Senhor em terra estranha” (Sl 137.4).

 

9 - ESCONDE A TUA FACE DOS MEUS PECADOS, E APAGA TODAS AS MINHAS INIQÜIDADES

O salmista tinha certeza que não podia haver um relacionamento amigável entre ele na condição em que se encontrava com Deus. Paulo deixou bem claro para nós.“... Que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiel com o infiel?” (2 Co 6.14,15).

 

10 - CRIA EM MIM, Ó DEUS, UM CORAÇÃO PURO, E RENOVA EM MIM UM ESPÍRITO RETO

Aqui Davi dá um grito por mudança. Ele sabia da dimensão do poder de Deus e que Ele tem a poder de criar qualquer coisa.  João ouviu uma grande voz do céu, que dizia: “E o que estava assentado sobre o trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E disse-me: Escreve; porque estas palavras são verdadeiras e fiéis” (Ap 21.5)

Amados O salmista pediu neste versículo duas coisas: A criação de um coração puro, e a renovação dando-lhe um espírito reto. Sabemos que Quando somos perdoados Deus não mantém registro de nosso passado. Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá de todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela justiça que praticou viverá” (Ez 18.21,22).

O pedido de um espírito reto está ligado a sua natureza de tomar a forma que lhe for possível, se para bem ou para o mal. Nós, porém, não devemos nos conformar com este mundo e sim mantermos o modelo que o SENHOR nos em proposto. “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus” (Rm 12.2).

Que Deus nos abençoe por Sua infinita Graça

 

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS

 



[1] Dicionário Web

[2] Descrição:
Planta arbustiva perene; atraente para abelhas. O hissopo é utilizado na culinária para preparar sopas, ensopados e saladas. Na medicina, é usado como expectorante, para tosse e dores de garganta, mordidas de insetos e queimaduras. http://www.lancefinal.com.br
http://www.lancefinal.com.br

[3] Hissopo: Atraente arbusto alto. As partes aéreas colhidas durante o Verão podem ser utilizadas na preparação de remédios para problemas do peito e digestivos.

 


O PREÇO DO RESGATE

Por Enoque Rodrigues Nogueira

 

Trabalho foi elaborado para ser ministrado no Estudo Bíblico realizado na Assembléia de Deus do Ministério de Madureira – RJ, na cidade de Santo Antonio de Pádua – RJ, em 16 de julho de 2006. O primeiro contato para o atendimento ao convite foi através do irmão Pedrinho, que trabalha conosco na Plataforma de Petróleo de Enchova, na Bacia de Campos; depois, por telefone falamos o Fábio Fernando e assim acertamos a nossa participação.

O assunto que será abordado é o mesmo que consta na terceira lição da revista de escola dominical do terceiro trimestre de 2006, da Editora Betel, na forma reduzida: “O preço do resgate”.

Espero que o resultado desde singelo trabalho seja para a Glória de Deus, para minha própria edificação, e da gloriosa Igreja de Cristo. Portanto, atendo com amor e prazer ao convite feito pela Direção da Igreja e de sua brilhante Mocidade.

 

 

Quanto vale um resgate?

Quando um membro de uma família rica é seqüestrado, os malfeitores pedem uma alta soma de dinheiro; na maioria dos casos a família paga porque a pessoa seqüestrada vale sempre mais do que o valor cobrado. Em guerras entre paises e facções, muitas vezes seqüestram-se personalidades e pede-se muito dinheiro em troca da vida do seqüestrado que corre perigo. Em tomada de aviões, os seqüestradores pedem coisas que são difíceis de ser atendidas e as autoridades cedem em grande parte através das negociações. O preço do resgate é avaliado em função de vários fatores.

O resgate da alma do pecador, para que ele tenha direito à vida eterna, não poderia ser pago com nenhuma moeda ou bem conhecido. Por isso fomos resgatados com algo o que há de mais precioso; vale mais do que todo o Universo: O sangue precioso de Cristo Jesus. Disse Pedro: “Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado” (1 Pe 1.18,19) .

 

 

O PROFETA OSÉIAS

 

Cronologia sintetizada

Apenas para termos uma visão panorâmica da época em que viveu Oséias, vamos recordar algumas datas antes de Cristo: 4004 - Adão; 2348 - Dilúvio; 1921 - Abraão; 1491 - Êxodo; 1095 - Saul; 1055 - Davi; 1015 - Salomão; 975 a 729 - Judá e Israel separados; 750 a 722 – Oséias; 697 a 587 - Judá; 587 - Queda de Jerusalém.

 

O tema de Oséias

O profeta Oséias exerceu sua atividade no reino do Norte, desde o final do reinado de Jeroboão II até a queda de Samaria (750-722 a.C.). Toda a pregação de Oséias está impregnada por uma experiência pessoal tão profunda, que se tornou para ele um símbolo (Os 1 e 3). Ele amava de todo coração a sua esposa, mas ela o deixou para se entregar a outros amantes.[1].

 

 

O DRAMA MATRIMONIAL DE OSÉIAS [2]

LIÇÃO 1 – REVISTA BETEL

 

O Pr.  Odair Alves de Oliveira, comentarista das Lições da Revista da Escola Dominical da Editora Betel do terceiro trimestral de 2006, Escolheu o livro de Oséias para as lições do terceiro trimestre. O tema da lição foi o seguinte: “O drama matrimonial de Oséias”. Os objetivos da Lição foram:

“Aprender sobre a obediência do profeta Oséias”;

“Conscientizar dos males da abominação da idolatria”

“Observar a grandeza do amor de Deus”[3].

O texto bíblico escolhido foi Oséis 1.1-6, que na versão Edição Pastoral diz:

Palavra do SENHOR que foi dita a Oséias, filho de Beeri, nos dias de Uzias, Jotão, Acaz, Ezequias, reis de Judá, e nos dias de Jeroboão, filho de Joás, rei de Israel.

O princípio da palavra do SENHOR por Oséias; disse, pois, o SENHOR a Oséias: Vai, toma uma mulher de prostituições e filhos de prostituição; porque a terra se prostituiu, desviando-se do SENHOR.

E foi-se e tomou a Gomer, filha de Diblaim, e ela concebeu e lhe deu um filho.

E disse-lhe o SENHOR: Põe-lhe o nome de Jezreel; porque daqui a pouco visitarei o sangue de Jezreel sobre a casa de Jeú e farei cessar o reino da casa de Israel.

E será, naquele dia, que quebrarei o arco de Israel no vale de Jezreel.

E tornou ela a conceber e deu à luz uma filha; e ele disse: Põe-lhe o nome de Lo-Ruama; porque eu não me tornarei mais a compadecer da casa de Israel, mas tudo lhe tirarei. (Os 1.1-6).

 

Como esboço o Pr. Odair pôs:

1.                 Um casamento ordenado por Deus;

2.                 Oséias foi cumpridor do dever marital;

3.                 Os nomes simbólicos dos filhos de Oséias;

4.                 A infidelidade da esposa de Oséias.

 

Na conclusão[4] diz:

Oséias foi o profeta do coração machucado. Obediente a Deus cumpriu todo o mandado do SENHOR. Sua vida foi um misto de alegria e tristeza; refletiu as emoções de Deus, que ama, castiga, mas perdoa. Obedeçamos sempre a Palavra de Deus e transmitamos o seu amor em nosso modo de viver. Uma palavra de esperança é empenhada pelo SENHOR sobre Israel nos versos 10 e 11 dom capítulo 1 de Oséias.[5]

 

 

VISLUMBRANDO O AMOR INCANSÁVEL DE DEUS[6]

LIÇÃO 2 – REVISTA BETEL

 

A segunda lição da Revista é apresenta como objetivo:

“Comprovar que há um amor infinito de Deus”;

“Não duvidar que um pecador terrível possa ser alcançado pela Graça”;

“Proclamar que há um futuro maravilhoso preparado por Deus para seu povo”. O texto de bíblico foi parte do capítulo 2 do livro de Oséias:

Portanto, eis que eu a atrairei, e a levarei para o deserto, e lhe falarei ao coração.

E lhe darei as suas vinhas dali e o vale de Acor, por porta de esperança; e ali cantará, como nos dias da sua mocidade e como no dia em que subiu da terra do Egito.

E acontecerá naquele dia, diz o SENHOR, que me chamarás: Meu marido e não me chamarás mais: Meu Baal.

E da sua boca tirarei os nomes de baalins, e os seus nomes não virão mais em memória.

E, naquele dia, farei por eles aliança com as bestas-feras do campo, e com as aves do céu, e com os répteis da terra; e da terra tirarei o arco, e a espada, e a guerra e os farei deitar em segurança.

E desposar-te-ei comigo para sempre; desposar-te-ei comigo em justiça, e em juízo, e em benignidade, e em misericórdias.

E desposar-te-ei comigo em fidelidade, e conhecerás o SENHOR.

 

O esboço foi o seguinte:

O amor que não se abateu pela traição;

A confiança na possibilidade de reconciliação;

Os planos para esquecer a infidelidade;

Projetos auspiciosos[7] para o futuro.

 

O comentarista conclui dizendo:

O conhecimento do cônjuge na intimidade dará maturidade e firmeza ao matrimônio; assim é com o conhecimento progressivo do SENHOR. O que passou, passou. “As coisas velhas ficaram para trás” (2 Co 5.17). A busca incessante de Deus por seu povo escolhido revela sua tolerância, paciência e  amor. Precisamos aprender a insistir com esperança, bem como colaborar para a reconciliação de cônjuges em conflito e do pecador com Deus.[8].

 

 

 

O PREÇO DO RESGATE DE GOMER[9]

LIÇÃO 3 – REVISTA BETEL

 

O Texto Áureo da lição é o seguinte: “O SENHOR resgata a alma dos seus servos, e nenhum dos que nele confiam será condenado” (Sl 34.22). Na Verdade Prática o autor expressa o alto valor do amor: “nenhum valor é tão alto e nem um sacrifício é demasiadamente doloroso quando o amor está em perigo”

Objetivos da lição:

“Aprender a obedecer a Deus sem questionar”;

“Enfatizar que não há situações irreversíveis onde opera o amor de Deus”;

“Estimular a imitar a Deus na disposição de perdoar”.

Em “leituras complementares”, uma nos fala grandiosa e fortemente:

“Também o reino dos céus é semelhante a um tesouro escondido num campo, que um homem achou e escondeu; e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo. Outrossim o reino dos céus é semelhante ao homem, negociante, que busca boas pérolas; e, encontrando uma pérola de grande valor, foi, vendeu tudo quanto tinha, e comprou-a”. (Mt13.44-46).

 

O texto usado para comentar foi o seguinte:

E O SENHOR me disse: Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, contudo adúltera, como o Senhor ama os filhos de Israel, embora eles olhem para outros deuses, e amem os bolos de uvas. E comprei-a para mim por quinze peças de prata, e um ômer, e meio ômer de cevada; E ele lhe disse: Tu ficarás comigo muitos dias; não te prostituirás, nem serás de outro homem; assim também eu esperarei por ti. Porque os filhos de Israel ficarão por muitos dias sem rei, e sem príncipe, e sem sacrifício, e sem estátua, e sem éfode ou terafim. Depois tornarão os filhos de Israel, e buscarão ao Senhor seu Deus, e a Davi, seu rei; e temerão ao Senhor, e à sua bondade, no fim dos dias. (Os 3.1-5).

 

O esboço é o seguinte:

“Deus fala a Oséias a segunda Vez”;

“A esposa de coração insensível”;

“O pagamento do resgate da esposa”;

“Cristo resgata os que nele crêem”.

 

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

Aprendemos nas três Lições estudadas que Deus, na Sua vontade de se fazer compreendido pelo Seu povo usa recursos extraordinários. No caso de Oséias Deus lhe dá uma lição exemplar fazendo que ele tenha o mesmo sentimento divino diante de um povo que foi eleito para viver de forma diferente, mas abandona os mandamentos e seguem a outros deuses. Oséias pode, através de seu casamento com Gomer, sentir-se enciumado mediante da traição de sua amada. O preço do resgate de Gomer foi muito alto. Não foi mensurado com valores materiais mais os sentimentais; sim os valores que feriam a alma do servo de Deus Oséias.

O livro de Oséias trás para nós, crentes em Jesus uma mensagem gloriosa e de alto teor de advertência.

 

TRÊS LIÇÕES DA TERCEIRA LIÇÃO

“O PREÇO DO RESGATE DE GOMER”

 

Estaremos enfatizando os três Objetivos que o pastor Odair Alves de Oliveira, comentarista da Revista Betel destacou para a terceira Lição: “Aprender a obedecer a Deus sem questionar”; “Enfatizar que não há situações irreversíveis onde opera o amor de Deus” e “Estimular a imitar a Deus na disposição de perdoar”.

 

 

APRENDENDO A OBEDECER A DEUS SEM QUESTIONAR

Para não questionar temos que ter a certeza que Deus é quem está falando ou ordenando?

Deus falou a Oséias: “Vai outra vez, ama uma mulher, amada de seu amigo, contudo adúltera”. Devido sua vida consagrada, o profeta tinha plena certeza que era Deus falando. A obediência do profeta é um exemplo que todos devemos seguir.

Todos nós queremos ouvir a voz de Deus, sobretudo ter a certeza de que é Ele quem está falando. Obedecer a Deus é vital parta a saúde do cristão.

 

MUITAS VEZES NÃO É DEUS QUE ESTÁ FALANDO

Sempre existiram os falsos profetas que usurpam o lugar de Deus e proferem palavras que não têm respaldo divino. As “profetadas[10]” tem sido como uma erva daninha na Igreja de Deus. Por causa delas muitos se desviaram ou tomam medida desastrosas.

Infelizmente muitos, inclusive os profetas e profetizas que receberam o dom de Deus, cedem à tentação e por algum motivo profetiza com os seus próprios lábios querendo apenas agradar ao seu ouvinte. Existem muitos tipos de profetadas.

 

Profecias e profetadas

Creio em profecias e já ouvi Deus falar comigo através de Seus profetas muitas vezes e se cumpriram. Mas infelizmente existem muitas profetadas proferidas no seio da Igreja.  A profecia vem do coração de Deus, a profetada da mente humana.

Existem palavras ou frases absurdas e sem bases bíblicas que são proferidas pelos profetadores. Colocarei a seguir, alguns exemplos que retirei da Internet[11]:


Probabilística

“Meu servo! Vou te dar vitória nesta semana; anota isto na tua agenda e tu verás o cumprimento”.

A vitória anunciada não aconteceu. O mensageiro pode ter tido compaixão do seu irmão e não querendo vê-lo a sofrer lhe desejou sucesso.


Aparência
“Servo meu! Tenho contemplado os seus gemidos pelas madrugadas nas tuas orações; vou te dar vitória”.

O irmão nunca orava de madrugada. O profeta o julgou pela aparência; naquele culto o irmãozinho estava contrito e lacrimoso.


Cenário
“Servo meu! Tenho uma grande obra contigo, neste ministério, ao lado do meu ungido.

O ouvinte - de outra igreja - era um visitante amigo do pastor e estava dirigindo a festa a seu pedido.

O “entregador de mensagem” pensou que ele era co-pastor, vice-presidente ou ministro local.


Aparência

“Servo! Tenho preparado para ti uma esposa, loira, alta e muito bonita”.  O ouvinte era casado com uma irmã baixinha de cabelos pretos.  O profeta não sabia que ele era casado.


Compaixão

“Minha serva, amada de meu Pai! Eis que vou curar aquela tua mãe de tal forma que tu dirás: como pode?”.  A mãe estava morta meia hora antes as mensagem.
A “profetizadora” e sua ouvinte não sabiam do falecimento.

Vaidade

“Ungido meu! Eis que falo assim contigo: vou eu te dar o que vieste buscar nesta noite... e tu dirás: na verdade o SENHOR falou! Falo assim para que tu saibas que sou eu quem rege na terra”.  O pastor estava naquele culto de oração tão somente em ação de graças pela compra de uma propriedade.  O “profetador” era o único “vaso” que ainda não tinha “entregado nenhuma mensagem” naquele culto e falou isto no final em tom de voz bem alto.


Desconfiança

“Servo que tenho colocado à frente de meu rebanho! Eis que são muitos que querem te tirar da posição. Vigia servo” Este (um nome em línguas) que está ao teu lado é o que tem te causado tantos males. Sê tu valente e faça tão somente o que eu te mando.
O pastor tinha grande consideração ao obreiro mencionado por código e em vinte anos de trabalhos juntos sempre lhe foi fiel.

O “profetador” julgava que de tão esforçado o adjunto do pastor era uma ameaça.


Alto risco

“Serva! Vou eu te dar este varão que esta sendo gerado no teu ventre”.

Na semana seguinte a irmã fez a ultra e o resultado: menina.
O mensageiro sabia que a irmã que já tinha dois filhos muito desejava um menino.

Vulgar

“Jovem que esta à frente desta mocidade! Vou te dar vitória; estou eu atendendo as tuas orações, vou preparar uma varoa para ti, tenho uma obra contigo no ministério, tu farás muitas viagens, tu ajudarás ao meu ungido, grande é a obra que tenho contigo”.

O jovem era diácono, bastante dinâmico e esforçado na Casa de Deus.

O mensageiro conhecia bem de perto os trabalhos do diretor.


Bajulação

“Ungido que estás na direção deste Campo! Vou fazer grande obra contigo na terra; muitos grandalhões virem a ti e se consertarão contigo; tenho eu feito grandes coisas e vou fazer muito mais ainda, para que todos saibam que há um Deus em Israel; muitos virão de uma parte e de outra para ver o que vou fazer através das tuas mãos”.
O pastor era muito amado no seio da igreja, mas morreu uma semana depois da “profetização”.

O mensageiro era o presbítero mais antigo da Igreja e esperava a sua indicação ao ministério.


Teológica

“Meu servo! Eu sou o Jeová Jiré, O Deus de Abraão! Como fui com Davi serei contigo; Não temas tu; quando passares pelas águas, estarei contigo; derrubarei as muralhas de Jericó; dou-te as bênçãos de Gerizim; lê tu a minha Palavra, vigia, ora e cante o hino da vitória; e a minha graça e a minha paz seja contigo”.

Ninguém sabia para quem era a mensagem.

O mensageiro era professor da Escola Bíblica Dominical.


Terror
“Homem! Quem te mandou entrar neste negócio? Não estou contigo neste propósito; vigia! Cuidado! Atenta bem para isto que estou te falando nesta hora e depois tu me louvarás”

O irmão era feirante e comprava material semanalmente.

O mensageiro pensou que ele era Empresário.


Duvidosa

“Olha servo! Eis que tu me pedes há anos uma resposta sobre este negócio; eis que te digo: nem sim e nem não e olha bem o que tu vais fazer”.

Os ouvintes ficaram assustados e perplexos.

O mensageiro não ofereceu nenhuma saída para a crise.

 

Como vimos, existem muitas profetadas, mas Glória a Deus! Existem os tementes servos de Deus, os seus santos profetas que emprestam as suas bocas para o SENHOR usar como, quando e onde quer.

 

 

 

COMO SABER SE É DEUS QUE ESTÁ FALANDO?

Quando Moisés recebeu os mandamentos, o povo viu o monte ardendo em fogo e percebeu que havia possibilidade de ouvir a voz de Deus. Eles disseram: “Eis aqui o Senhor nosso Deus nos fez ver a sua glória e a sua grandeza, e ouvimos a sua voz do meio do fogo; hoje vimos que Deus fala com o homem, e que este permanece vivo” (Dt 5.24). Sabemos que Deus fala realmente com o homem. Ele falou com Abraão, Davi, Josué, Jeremias e demais profetas, e continua falando de várias formas. A questão é como saber quando é de fato Deus falando. Para isto é necessário ter intimidade com Ele, como um filho conhece a voz de seu pai.

Morei em um condomínio no Rio de Janeiro onde havia 480 apartamentos. Entre os blocos, ficam algumas crianças andando de bicicleta ou correndo enquanto no play ficavam muitas outras. Em dado momento, um dos meus filhos gritou “pai!” e entre tantas vozes eu percebi a voz do meu filho. Isto é o resultado da nossa intimidade. Eu não o reconheci apenas por ser seu pai. Existem muitos pais que não reconhecem a voz de seu filho por não ter nenhum vínculo afetivo com ele. É o caso dos pais separados; são pais legítimos mas não se conhecem.

Nós somos filhos de Deus e por isso devemos ter bastante contato com Ele através das orações, louvor, adoração e audição da Sua voz, porque Ele está falando amorosa e continuamente, querendo ser conhecido por nós.

Não existem regras rígidas para reconhecer a voz de Deus, porque sendo Ele Espírito, não tem um timbre específico, e se o tem, pela nossa natureza humana não temos como decodificá-lo para transmitir aos outros. Uma coisa é consensual: Deus fala.

 

Algumas características das palavras de Deus:  

 

É pura (Pv 30.5)

Sendo pura nunca será confundida.

 

É escudo é para os que confiam em Deus (Pv 30.5)

Como escudo a Palavra de Deus é uma “arma defensiva que consiste numa placa de material muito resistente, com formas diversas, e que serve para proteger o corpo, das armas ofensivas do inimigo[12]”. Sendo assim, uma palavra da parte de Deus só pode dar ao crente segurança conforto e tranqüilidade, jamais um outro sentimento.

 

É viva e eficaz (Hb 4.12)

Deus fala ao crente de forma atuante e as suas palavras trazem solução para as suas necessidades. 

 

É mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, (Hb 4.12)

Quando Deus fala conosco sentimos dentro da nossa alma o efeito de Sua voz. Por isso que o escritor aos hebreus diz que ela “penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração”. Não se trata somente do tipo de espada e sim a sua aplicação; ela pode discernir os pensamentos e as intenções dos corações.

 

É alimento espiritual (Lc 4.4)

Na tentação que Jesus sofreu Ele disse que “nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus”. Deus fala conosco de forma que nos sentimos alimentados; sim saciados espiritualmente. Quando Deus fala nos sentimos consolados.

 

Os que a ouvem conservam num coração honesto e bom, e dão fruto com perseverança (Lc 8.15)

Deus fala com o homem para que ele ganhe ou mantenha um bom comportamento e possa reproduzir por toda a vida aquilo que lhe for edificativo.

 

Atrai os necessitados (At 13.44)

A palavra de Deus é como um mel; quando pronunciada atrai as pessoas necessitadas de ouvir algo diferente daquilo que lhes sobram no dia-a-dia.

 

É a espada do Espírito (Ef 6.17)

O Espírito Santo é uma pessoa do Deus-Trino que age de forma cortante. È uma arma de ataque que anula a ação do Inimigo.

Não está presa (2 Tm 2.9)

O ouvinte da palavra de Deus se torna livre. Não fica sujeito aos caprichos do que aprende na sociedade, muitas vezes depravadas. É uma voz de saída para as nossas prisões.

 

É boa (Hb 6.5)

Uma coisa boa não entristece, não magoa, não decepciona, não provoca o distanciamento, não acusa, não entristece. Quando Deus fala a Sua boa palavra, Ele mesmo providencia para que não haja nenhum sentimento de que é ruim. Caso contrário, não poderia ser intitulada boa.

Se uma palavra for pronunciada como de procedência divina e o seu conteúdo promover quaisquer tipos de sentimentos diferentes do bem, indubitavelmente não é a voz de Deus. 

 

Permanece para sempre (1 Pe 1.23)

Tem um ditado que diz: “palavras o vento leva”. Sim o vento leva palavras proferidas por mortais. O SENHOR Todo-Poderoso que vive para sempre não morre nunca e as Sua palavras permanecem para sempre.

 

É a verdade (Jo 17.17)

“Joseph Goebbels, ministro das comunicações do partido nazista, dizia que ‘uma mentira dita 100 vezes se torna uma verdade’[13]”. Claro que isto é uma frase demoníaca. Uma mentira nunca será uma verdade. Mas a palavra de Deus é a verdade.

 

Está no crente (1 Jo 2.14)

João disse que a palavra de Deus está no crente. “Eu vos escrevi, pais, porque já conhecestes aquele que é desde o princípio. Eu vos escrevi, jovens, porque sois fortes, e a palavra de Deus está em vós, e já vencestes o maligno”.

 

Tem respaldo nas Escrituras

“Inclinar-me-ei para o teu santo templo, e louvarei o teu nome pela tua benignidade, e pela tua verdade; pois engrandeceste a tua palavra acima de todo o teu nome” (Sl 138.2). A palavra de Deus está acima de tudo e a Bíblia Sagrada é o Registro fiel; está corroborada na Bíblia Sagrada.

 

Não tem proposta absurda

“O caminho de Deus é perfeito, e a palavra do Senhor refinada; e é o escudo de todos os que nele confiam” (2 Sm 22.31). Deus não manda recado nem emite ordem absurda. “Então Balaão disse a Balaque: Eis que eu tenho vindo a ti; porventura poderei eu agora de alguma forma falar alguma coisa? A palavra que Deus puser na minha boca essa falarei” (Nm 22.38).

 

 

NÃO HÁ SITUAÇÕES IRREVERSÍVEIS ONDE OPERA O AMOR DE DEUS

 

O caso Jonas.

 

“E VEIO a palavra do Senhor a Jonas, filho de Amitai, dizendo Levanta-te, vai à grande cidade de Nínive, e clama contra ela, porque a sua malícia subiu até à minha presença” (Jn 1.1,2). Deus não mandou uma ameaça para os moradores de Nínive e sim sentença. “E levantou-se Jonas, e foi a Nínive, segundo a palavra do Senhor. Ora, Nínive era uma cidade muito grande, de três dias de caminho. E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e pregava, dizendo: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida” (Jn 3.3,4).

“E os homens de Nínive creram em Deus; e proclamaram um jejum, e vestiram-se de saco, desde o maior até ao menor” (Jn 3.5).

“E Deus viu as obras deles, como se converteram do seu mau caminho; e Deus se arrependeu do mal que tinha anunciado lhes faria, e não o fez” (Jn 3.10).

Como vimos houve a irreversibilidade da situação e Deus não destruiu a cidade; tudo pelo Seu grande amor. “E orou ao Senhor, e disse: Ah! Senhor! Não foi esta minha palavra, estando ainda na minha terra? Por isso é que me preveni, fugindo para Társis, pois sabia que és Deus compassivo e misericordioso, longânimo e grande em benignidade, e que te arrependes do mal” (Jn 4.2).

 

O caso Ezequias

Ezequias estava com os dias contados, mas suplicou a Deus e Ele ouviu a sua oração.

NAQUELES dias Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal; e veio a ele o profeta Isaías, filho de Amós, e lhe disse: Assim diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás, e não viverás. Então virou Ezequias o seu rosto para a parede, e orou ao Senhor. E disse: Ah! Senhor, peço-te, lembra-te agora, de que andei diante de ti em verdade, e com coração perfeito, e fiz o que era reto aos teus olhos. E chorou Ezequias muitíssimo. Então veio a palavra do Senhor a Isaías, dizendo: Vai, e dize a Ezequias: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas; eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos. (Is 38.1-5).

 

O caso Pedro

Pedro negou a Jesus três vezes. Tinha tudo para ser preterido e ter o seu ministério acabado naquele momento.

Profetiza-nos, Cristo, quem é o que te bateu? Ora, Pedro estava assentado fora, no pátio; e, aproximando-se dele uma criada, disse: Tu também estavas com Jesus, o galileu E, saindo para o vestíbulo, outra criada o viu, e disse aos que ali estavam: Este também estava com Jesus, o Nazareno. Mas ele negou diante de todos, dizendo: Não sei o que dizes. E ele negou outra vez com juramento: Não conheço tal homem E, daí a pouco, aproximando-se os que ali estavam, disseram a Pedro: Verdadeiramente também tu és deles, pois a tua fala te denuncia. Então começou ele a praguejar e a jurar, dizendo: Não conheço esse homem. E imediatamente o galo cantou. E lembrou-se Pedro das palavras de Jesus, que lhe dissera: Antes que o galo cante, três vezes me negarás. E, saindo dali, chorou amargamente (Mt 26. 69-75).

O amor e o perdão de Deus foi manifestado e o seu ministério corroborado quando  Jesus convidou Pedro para ser pastor de almas.

E, depois de terem jantado, disse Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de Jonas, amas-me mais do que estes? E ele respondeu: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeiros. Tornou a dizer-lhe segunda vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Disse-lhe: Sim, Senhor, tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. Disse-lhe terceira vez: Simão, filho de Jonas, amas-me? Simão entristeceu-se por lhe ter dito terceira vez: Amas-me? E disse-lhe: Senhor, tu sabes tudo; tu sabes que eu te amo. Jesus disse-lhe: Apascenta as minhas ovelhas. (Jo 21.15-17).

Não há situações irreversíveis onde opera o amor de Deus.

 

A exceção!?

Existe uma condição em que não há reversibilidade: Quando se blasfema contra o Espírito Santo. “E a todo aquele que disser uma palavra contra o Filho do homem ser-lhe-á perdoada, mas ao que blasfemar contra o Espírito Santo não lhe será perdoado” (Lc 12.10).

Este assunto é um dos mais controversos da teologia, mas para não ficar de fora proponho o seguinte: Deus não pode se manifestar contra a nossa vontade no que se refere a salvação. Ele quer salvar a todos “E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia” (Jo 6.39), mas deixa que cada um decida por si “De maneira que cada um de nós dará conta de si mesmo a Deus” (Rm 14.12).

Uma vez negando a eficácia do Espírito Santo, Este não pode convencê-lo. Se não acreditarmos que o homem vestido de jaleco em uma clínica é um médico, não aceitaremos as suas prescrições. Creio eu que blasfemar contra o Espírito santo é negar o seu poder, logo ele não pode nos convencer do nosso erro para que peçamos perdão a Deus em nome de Jesus.

A proposição: “Não há situações irreversíveis onde opera o amor de Deus”, pode ser uma realidade se considerarmos que em estado de blasfêmia não há a manifestação de Deus e sim a sua sentença de morte espiritual. Neste caso o amor se delimita a Justiça de Deus.

 

 

IMITANDO A DEUS NA DISPOSIÇÃO DE PERDOAR

 

Perdoar como Deus é muito difícil para a criatura humana. Deus tem uma característica de perdão que não pode ser igualada, somente imitada; isto considerando que imitação não é uma cópia fiel. O cristão pode e deve imitar o perdão de Deus em alguns aspectos como: ser real, não ser lançado em rosto, não ser exercido para humilhar, visando melhoria da vida do semelhante, no objetivo de reparar um erro, de remissão de pena.

O perdão de Deus é pleno. Quando ele perdoa não fica nenhuma ficha ou cadastro negativo como nos órgãos que conhecemos. Não há absolutamente nenhuma lembrança. “Mas se o ímpio se converter de todos os pecados que cometeu, e guardar todos os meus estatutos, e proceder com retidão e justiça, certamente viverá; não morrerá. De todas as transgressões que cometeu não haverá lembrança contra ele; pela justiça que praticou viverá” (Ez 18. 21,22).

Eu sei amado irmão que isto é muito difícil de compreender o perdão de Deus. È também difícil entendermos o que é a Graça. O perdão de Deus é fruto de Sua Graça. Remissão de Vamos perdoar a cada dia o nosso ente querido, irmão, o nosso vizinho, enfim a todos, inclusive os que têm nos causado os maiores males. Lembremos que quando nos faltar sabedoria devemos pedir a Deus.

“E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada” (Tg 1.5)

 

 

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA

 

 

 

REVISTA DA ESCOLA DOMINICAL. Jovens e Adultos: 3º trimestre de 2006. Rio de Janeiro: Editora Betel, 2006.

http://www.canaldaimprensa.com.br/canalant/cultura/quarent8/cultura1.htm.

DICIONÁRIO AURÉLIO ON LINE.

BÍBLIA ON LINE. Versão Revista e Corrigida, de João Ferreira de Almeida. Sociedade Bíblica do Brasil.

BÍBLIA ON LINE. Versão Revista e Atualizada, de João Ferreira de Almeida. Sociedade Bíblica do Brasil.

BÍBLIA ON LINE. Versão Nova Tradução na Linguagem de Hoje. Sociedade Bíblica do Brasil.

BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral. Editora Paulus. Versão on line.

BÍBLIA SAGRADA. Com referências e algumas variantes: edição revista e corrigida. Rio de Janeiro: Imprensa Bíblica Brasileira, 1987.

DICIONÁRIO AURÉLIO. Edição On line. Século XXI.

http://www.atosdois.com.br/print2.php?codigo=2256

 

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS



[1] Bíblia Sagrada: Edição Pastoral. Editora Paulus.

[2] Lição 1 da Revista Betel, da Assembléia de Deus, Ministério de Madureira – RJ.

[3] Lição 1 da Revista Betel, p.3.

[4] Lição 1 da Revista Betel, p.8.

[5] Todavia, o número dos filhos de Israel será como a areia do mar, que não pode medir-se nem contar-se; e acontecerá que, no lugar onde se lhes dizia: Vós não sois meu povo, se lhes dirá: Vós sois filhos do Deus vivo. E os filhos de Judá e os filhos de Israel juntos se congregarão, e constituirão sobre si uma única cabeça, e subirão da terra; porque grande será o dia de Jezreel. (Os 1.10,11).

[6] Lição 3 da Revista Betel, p.9

[7] Prometedor (Dic. Aurélio).

[8] Lição 3 da Revista Betel, p.14.

[9] Lição 3 da Revista Betel, 15.

[10] Termo pejorativo usado por alguns pregadores que significa falsa profecia

[11] http://www.atosdois.com.br/print2.php?codigo=2256

[12] Dic Aurélio

[13] http://www.canaldaimprensa.com.br/canalant/cultura/quarent8/cultura1.htm


SANTA CEIA

MOMENTO DECOMUNHÃO        

        

 Enquanto comiam, tomou Jesus um pão, e, abençoando-o, o partiu, e o deu aos discípulos, dizendo: Tomai, comei; isto é o meu corpo. A seguir, tomou um cálice e, tendo dado graças, o deu aos discípulos, dizendo: Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue, o sangue da nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados. (Mt 26.26-28).

 

O FUNDAMENTO DA IGREJA

A Igreja está fundamentada em Cristo “Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela” (Mt 16.18);

A Igreja e recebeu de Jesus autoridade “Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus” (Mt 16.19 - Edição atualizada).

Como assembléia a Igreja Local tem muitas atividades que são definidas pela sua direção ou desejo da membresia. As atividades das Igrejas Locais são diferentes entre si e atenderá aos princípios de sua organização. Como Igreja do SENHOR, o corpo de Cristo, a Igreja tem princípios engessados pela Palavra de Deus, a Bíblia Sagrada.

São duas as ordenanças: Batismo nas águas e Santa Ceia.

 

 

BATISMO

Batismo nas águas são ritos de ingresso na Igreja, testemunho público; é o início da vida cristã; realizado uma única vez porque só existe um começo.

Jesus ordenou a realização do batismo. “Portanto, ide, ensinai {ou fazei discípulos} todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; esinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até à consumação dos séculos. Amém!”  Mt 28.19,20. Pedro ratificou “E disse-lhes Pedro: Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo para perdão dos pecados, e recebereis o dom do Espírito Santo.Porque a promessa vos diz respeito a vós, a vossos filhos e a todos os que estão longe: a tantos quantos Deus, nosso Senhor, chamar. “At 2.38,39.I

O batismo é um testemunho público, porém:                               

Não salva - As criancinhas, por sua inocência pertencem ao reino de Deus “Trouxeram-lhe, então, algumas crianças, para que lhes impusesse as mãos e orasse; mas os discípulos os repreendiam. Jesus, porém, disse: Deixai os pequeninos e não os estorveis de vir a mim, porque dos tais é o Reino dos céus.” Mt 19.13,14. Um pecador na cruz foi salvo sem ser batizado “E disse-lhe Jesus: Em verdade te digo que hoje estarás comigo no Paraíso.” Lc 23.43

É uma profissão (declaração) de fé. “ E disse Filipe: É lícito, se crês de todo o coração. E, respondendo ele, disse: Creio que Jesus Cristo é o Filho de Deus. E mandou parar o carro, e desceram ambos à água, tanto Filipe como o eunuco, e o batizou At 8.37,38.

Deve ser de acompanhado oração “E, agora, por que te deténs? Levanta-te, e batiza-te, e lava os teus pecados, invocando o nome do Senhor.” At 22.16.

Deve ser uma abertura para uma  vida de consagração “...a qual, figurando o batismo, agora também vos salva, não sendo a remoção da imundícia da carne, mas a indagação de uma boa consciência para com Deus, por meio da ressurreição de Jesus Cristo;” 1 Pe 3.21.

A Santa Ceia do SENHOR é um rito de comunhão, é a continuação da vida espiritual; vida que sua qualidade dependerá da forma em se pratica o Evangelho.

 

A SANTA CEIA DO SENHOR – 1 Co 11.23-30

23 Porque eu recebi do Senhor o que também vos ensinei: que o Senhor Jesus, na noite em que foi traído, tomou o pão;

24  e, tendo dado graças, o partiu e disse: Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós; fazei isto em memória de mim.

25  Semelhantemente também, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue; fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim.

26  Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha.

27  Portanto, qualquer que comer este pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor.

28  Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste  pão, e beba deste cálice.

29  Porque o que come e bebe indignamente come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor.

30  Por causa disso, há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem. (1 Co 11.23-30).

 

LIÕES DO TEXTO SOBRE A SANTA CEIA DO SENHOR

Reflexão - “o Senhor Jesus, na noite em que foi traído” (V. 23);

Comunhão – “Tomai, comei; isto é o meu corpo que é partido por vós” (V.24);

A Nova Aliança “Este cálice é o Novo Testamento no meu sangue” V. 25);

Comemoração - “fazei isto, todas as vezes que beberdes, em memória de mim” (v.25);

Evangelização – “Porque, todas as vezes que comerdes este pão e beberdes este cálice, anunciais a morte do Senhor, até que venha” (V.26);

Responsabilidade – “Portanto, qualquer que comer este pão ou beber o cálice do Senhor, indignamente, será culpado do corpo e do sangue do Senhor” (V.27);

Exame introspectivo – “ Examine-se, pois, o homem a si mesmo, e assim coma deste pão, e beba deste cálice” (V.28);

A Bênção pode se tornar maldição – “Porque o que come e bebe indignamente come e bebe para sua própria condenação, não discernindo o corpo do Senhor”.

Os resultados da profanação: fraqueza, doença, morte - 30 – “Por causa disso, há entre vós muitos fracos e doentes e muitos que dormem”.

Auto exame de consciência – 31 “ Porque, se nós nos julgássemos a nós mesmos, não seríamos julgados”.

Deus corrige aos seus filhos - 32 – “Mas, quando somos julgados, somos repreendidos pelo Senhor, para não sermos condenados com o mundo”.

 

O PRIVILÉGIO DA CORREÇÃO DE DEUS – Hb 12.5-13    

1 Portanto, nós também, pois, que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo embaraço e o pecado que tão de perto nos rodeia e corramos, com paciência, a carreira que nos está proposta,

5  E já vos esquecestes da exortação que argumenta convosco como filhos: Filho meu, não desprezes a correção do Senhor e não desmaies quando, por ele, fores repreendido;

6  porque o Senhor corrige o que ama e açoita a qualquer que recebe por filho.

7  Se suportais a correção, Deus vos trata como filhos; porque que filho há a quem o pai não corrija?

8  Mas, se estais sem disciplina, da qual todos são feitos participantes, sois, então, bastardos (gerado fora do matrimônio; adulterino) e não filhos.

9  Além do que, tivemos nossos pais segundo a carne, para nos corrigirem, e nós os reverenciamos; não nos sujeitaremos muito mais ao Pai dos espíritos, para vivermos?

10  Porque aqueles, na verdade, por um pouco de tempo, nos corrigiam como bem lhes parecia; mas este, para nosso proveito, para sermos participantes da sua santidade.

11  E, na verdade, toda correção, ao presente, não parece ser de gozo, senão de tristeza, mas, depois, produz um fruto pacífico de justiça nos exercitados por ela.

12  Portanto, tornai a levantar as mãos cansadas e os joelhos desconjuntados,

13  e fazei veredas direitas para os vossos pés, para que o que manqueja se não desvie inteiramente; antes, seja sarado. (Hb 12.5-13).

 


UM RESTINHO DE AZEITE

Por Enoque Rodrigues Nogueira

 

INTRODUÇÃO

A igreja de Cristo é composta de dois tipos de seguidores com diferenças na confissão de fé. De um lado, os pregoeiros das obras de Deus falando tudo o que receberam, para que outros sejam edificados. No oposto ficam os crentes nominais que só acreditam na divindade de Cristo e no Poder de Deus nos moldes tratados na Bíblia como fatos que aconteceram e foram exclusivos para a época passada. Tendo como premissa a veracidade da Bíblia sagrada e a fé em Deus, me incluo no grupo dos crentes fervorosos que acredita que o Soberano SENHOR responde às nossas atitudes. Sobre isto bem falou, em uma pregação na Assembléia de Deus em Campo Grande em 1994, o pastor Silas Malafaia: “Deus reage muito mais às nossas atitudes do que age usando a soberania do Seu poder”.

 

TEXTO BÍBLICO

O texto no segundo Livro dos Reis 4.1-7, na versão da Bíblia em CD-ROM  da Editora Vozes, 1996, diz:

Ora, a mulher de um dos filhos dos profetas fez um apelo a Eliseu nestes termos: “Teu criado, meu marido, está morto, e tu bem sabes que era homem religioso. E agora veio o credor para levar consigo como escravos os meus dois filhos”. Eliseu lhe retrucou: “O que posso fazer por ti? Dize-me o que tens em casa?” Ela replicou: “Só tenho em casa um restinho de azeite para me perfumar”.  O profeta respondeu: “Vai pedir emprestadas de todos os vizinhos vasilhas vazias, e não sejam poucas! Em seguida volta e tranca-te em casa com os filhos. Derrama o azeite em todas estas vasilhas, e à medida que as fores enchendo, põe-nas de lado”.

A viúva se retirou, fechou a porta atrás de si e dos filhos. Eles lhe passavam as vasilhas enquanto ela as ia enchendo. Quando todas as vasilhas estavam cheias, ela disse ao filho: “Passa-me ainda um recipiente!”Mas ele respondeu: “Não há mais!”, e então o azeite parou de correr. Depois ela foi contar ao homem de Deus, e este lhe disse: “Vai vender o azeite e paga a tua dívida! Com o que sobrar, poderás viver com teus filhos”.

Em princípio, apenas mais um dos milagres envolvendo o ministério de Eliseu, mas ao meditar nas entrelinhas, pude tirar algumas lições para a minha vida das quais gostaria de partilhar com o leitor.

 

 

UMA FAMÍLIA EM CRISE

1 - Ora, a mulher de um dos filhos dos profetas fez um apelo a Eliseu nestes termos: “Teu criado, meu marido, está morto, e tu bem sabes que era homem religioso. E agora veio o credor para levar consigo como escravos os meus dois filhos”.

A mulher de um servo de Deus ficou viúva e herdou as dívidas do marido. Ao ver o profeta Eliseu quis deixar claro que o seu falecido era fiel ao SENHOR e estava agora em apuros sofrendo ameaças do credor cobrava pelo passivo, o trabalho escravo de seus filhos.

A Bíblia diz que “o SENHOR guarda os estrangeiros; ampara o órfão e a viúva, mas transtorna o caminho dos ímpios” (Sl 146.9);

Mostra um Deus benigno “Porque o SENHOR é bom, e eterna, a sua misericórdia; e a sua verdade estende-se de geração a geração” (Sl 100.5);

Também apresenta um Deus que cuida da descendência dos justos; “Fui moço e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua descendência a mendigar o pão” (Sl 37.25).

Com tantas promessas, a queixa da viúva era razoável.

 

O RESTINHO É TUDO

2 - Eliseu lhe retrucou: “O que posso fazer por ti? Dize-me o que tens em casa?” Ela replicou: “Só tenho em casa um restinho de azeite para me perfumar”.

A pergunta de Eliseu “O que posso fazer por ti?” nos faz lembrar do episódio narrado em Atos dos Apóstolos quando Pedro pergunta ao coxo que pedia esmola: “Olha para nós (...) Não tenho prata nem ouro” (At 3.4-6). Eliseu não possuía bens ou recursos materiais para pagar as contas da viúva, mas servia ao dono de tudo “Minha é a prata, e meu é o ouro, disse o SENHOR dos Exércitos” (Ag 2.8).  Inspirado por Deus o profeta fez a célebre pergunta “o que tens em casa?”. A viúva respondeu: “só tenho um restinho de azeite para me perfumar” (Tua serva não tem nada em casa, senão uma botija de azeite, ERC). Embora fosse um produto precioso, não representava quase nada face às necessidades da viúva e a pressão do credor; mas por outro lado era um ponto de partida para um milagre.

Às vezes nos deparamos em situações semelhantes onde um Gol 94 represente o mesmo que uma moderna Ferrari; o nosso conjugado de 25m2 não é diferente de uma cobertura em São Conrado. Quando o desespero nos ataca a ferida está na alma e os bens não têm nenhum valor. Nada pode fazer diferença a não ser com uma intervenção de Deus em nosso favor; aí nos identificamos com aquela viúva e podemos cada dizer: só tenho um restinho de azeite.

Para Deus, o nosso restinho é muito. Ele pode multiplicar o zero com resultado positivo (Is 40.29 – ERC) ou multiplicar alguma coisa sem adição de nenhum elemento e também criar o que for preciso para abençoar os Seus servos.

O azeite que havia na casa da viúva não tinha quantidade suficiente para pagar todas as sua dívidas, mas tinha grande valor. Era um composto de cinco ingredientes: 5 quilos de mirra virgem  (goma que transparece pelos golpes feito na árvore), 2 quilos e meio de cinamomo aromático (Árvore ornamental de flores pequenas e aromáticas), 2 quilos e meio de cana aromática (Vinha de um país longínquo, Jr 6.20), 5 quilos de cássia (pequena planta de cheiro mais penetrante e menos agradável do que o cinamono; comercializada em Tiro, Ez 27.19) e 9 litros de azeite de oliva. Embora valioso em sua essência, a quantidade não era suficiente para pagar as dívidas. Um milagre teria que acontecer.

 

O TAMANHO DA FÉ

3 - O profeta respondeu: “Vai pedir emprestadas de todos os vizinhos vasilhas vazias, e não sejam poucas!

A situação da viúva já desconfortável pelo opróbrio que sofria ganhou mais um agente de humilhação: pedir emprestado. Este é o drama vivido por muitos que caem em dívidas. Os vasos eram feitos de barro e exigiam uma série de cuidados para não se quebrarem. A mulher endividada tinha que manusear com bastante cuidado os receptáculos para não aumentar mais ainda a sua dívida tendo que pagar por eles. Ela ainda não sabia do que estava por acontecer, apenas confiou no profeta pedindo o favor dos vizinhos. A outra questão bastante interessante foi a ordem de pegar “de todos os vizinhos” e “não poucos”. Se a viúva fosse uma mulher mal relacionada não poderia atender ao mandado de Eliseu (diz um ditado que diz: “vale mais um amigo do que dinheiro no bolso”). A quantidade grande nos fala da dimensão da fé e também da nossa limitação. Deus tem poder para dar a quantidade que possamos suportar, saciar ou nos ser útil.

 

O SEGREDO DO SENHOR É PARA OS QUE O TEMEM

4,5 - Em seguida volta e tranca-te em casa com os filhos. Derrama o azeite em todas estas vasilhas, e à medida que as fores enchendo, põe-nas de lado”. A viúva se retirou, fechou a porta atrás de si e dos filhos. Eles lhe passavam as vasilhas enquanto ela as ia enchendo.

A ordem se trancar em casa com os filhos tem algumas aplicações. Jesus nos ensina a orar também de portas fechadas “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará” (Mt 6.6) Isto significa que há momentos que devemos preservar a nossa intimidade com Deus.; nessa condição aparece a idéia de comunhão entre Deus e a família sofrida. O salmista diz “O segredo do SENHOR é para os que o temem; e ele lhes fará saber o seu concerto” (Sl 25.14). A cena de uma mulher enchendo vasos a partir de um vaso-fonte fluindo azeite poderia gerar uma série de situações indesejáveis, como conflito entre a vizinhança; alguns poderiam conjeturar bruxaria; pessoas cochichando entre si sobre a possibilidade de ser um mero truque; outros exigindo a participação da fonte por haver emprestado os vasos. O enchimento de todos os vasos significa que Deus tem Bênçãos ilimitadas para nós. O colocar de lado depois de cheias dá orientação contra o desperdício.

Ás vezes, Deus faz milagres na nossa vida de tal modo que não podemos nem contar para os nossos amigos, sob pena de sermos zombados. Meu irmão, não importa a forma que venha a provisão, o importante é a sua chegada. Vamos nos acostumar com os nossos incrédulos amigos fazendo a tradicional pergunta: “Como pode?”. Nós responderemos com ar de vitória: “Eu não sei, pergunte a Deus; só sei que Ele pode tudo o que quiser; Ele respondendo a Moisés disse: ‘EU SOU O QUE SOU’” Ex 3.14a.

 

ENQUANTO HOUVER ESPAÇO DEUS O PREENCHE

6 - Quando todas as vasilhas estavam cheias, ela disse ao filho: “Passa-me ainda um recipiente!” Mas ele respondeu: “Não há mais!”, e então o azeite parou de correr.

Este fato não tem qualquer respaldo científico e não precisamos da ciência para corroborar a nossa fé, aliás, deixaria de ser fé; o importante é que um milagre aconteceu; enquanto havia um vaso vazio o azeite flui e encheu a todos eles.

Em nossa caminhada muitas vezes nos deparamos em situação adversa e conflitante: necessidade de um milagre e o tamanho da nossa fé. Sabemos que Deus é dono de tudo. Tem poder para fazer todas as coisas e como um pai, quer nos dar bens “Se, vós, pois, sendo maus, sabeis dar boas {ou boas dádivas} coisas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai, que está nos céus, dará bens aos que lhe pedirem?” Mt 7.11. Existe uma linha muito tênue entre a fé e a realidade que vivenciamos, parece que quanto mais dependemos de Deus, mais distantes estamos da Sua provisão. Precisamos rever os nossos conceitos de fé e aprimorarmos a nossa visão espiritual. Não vamos conseguir isto através dos bons textos de jornais, revistas, livros, por melhores que sejam. Não construiremos jamais nosso edifício da fé com bases em teorias humanas, nem com pilares da filosofia, nem com as vigas da experiência dos homens e muito menos com as matérias-primas oferecidos por esta sociedade cada vez mais afastados de Deus. Só conseguiremos alcançar a fé que faz emanar azeite dos vasos lendo na Bíblia Sagrada os feitos do SENHOR PROVERÁ. A fé não se compra, adquire-se através da santa e gloriosa Palavra de Deus de Deus. “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus” (Rm 10.17).

 

A RESTITUIÇÃO DA DIGNIDADE

7 - Depois ela foi contar ao homem de Deus, e este lhe disse: “Vai vender o azeite e paga a tua dívida! Com o que sobrar, poderás viver com teus filhos”.

Se Deus quisesse tratar o caso exclusivamente no cerne da questão sem se preocupar com as conseqüências e efeitos colaterais, poderia ter usado a Eliseu de outras formas, como: Matar o credor - um modo radical, neste caso, passando a dor para a família dele. Uma linda e brilhante chuva de ouro ou prata - talvez a mais clássica e poética, mas contradizendo o princípio da equidade. Tocar no coração do credor para perdoar as dívidas - uma severa e longa luta entre todos os devedores e credores tementes a Deus requerendo o mesmo tratamento. Solidariedade da vizinhança – cada um ofereceria alguma coisa para vender e assim pagar a conta.

Muitas outras formas poderiam ser usadas, mas o Todo-Poderoso preferiu a melhor, onde pudesse resolver o problema imediato, os futuros e ainda dar lições de vida e ética. Com o milagre da multiplicação do azeite, aconteceu dentre muitas coisas o seguinte:

A família pode sair do opróbrio em que viviam;

Uma porta de emprego foi-lhe aberta;

Houve fomentação do mercado de azeite;

A alegria tomou conta da vizinhança por terem emprestado vasos para comportar o milagre;

Mais uma obra de Javé que foi registrada, entre 560 e 538 a.C. (BÍBLIA DE ESTUDO PLENITUDE - p. 384), para conhecimento de toda a humanidade;

Nós, escritores e leitores, podemos compartilhar as nossas experiências de vida cristã.

 

LIÇÕES DO TEXTO

Em um texto tão pequeno podemos ver a grandiosidade de Deus e o valor do ministério profético na vida do servo de Deus. Eliseu tinha uma vida de teoria e prática, ele não só sabia que Deus era (é e será, Hb 13.8) O SENHOR PROVERÁ, ele exteriorizava a sua fé através dos serviços prestados aos crentes necessitados. Dez lições importantes para a minha vida puderam extrair da história da viúva.

1 – O Todo-Poderoso É O QUE É;

2 – Como “Eu Sou o Que Sou” Deus escolhe um plano, não se submetendo a nenhuma lógica conhecida;

3 – Deus pode usar do recurso existente, por menor que seja e em qualquer circunstância;

4 – Para Deus operar um milagre a “nossa” quantidade não faz nenhuma diferença;

5 – Só Deus tem poder para multiplicar alguma coisa sem adição de material;

6 – O milagre aconteceu dentro das condições da família, de acordo com a quantidade de receptáculos que tinha para receber o produto do milagre;

7 – O produto que Deus ofereceu foi de boa qualidade e dentro dos padrões de consumo;

8 – Deus pode operar em qualquer tipo de adversidade;

9 – Para que aconteça um milagre, a fé e a obediência são imprescindíveis;

10 – Deus quando opera tudo à volta se transforma, não soluciona o problema como dá paz segurança prazer movimento e normalidade à vida.

 

CONCLUSÃO

Amados, o nosso Deus é o mesmo que salvaguardou Noé em uma geração pecaminosa; o que livrou Moisés da morte; que abriu o mar Vermelho e reteve as águas do rio Jordão; que deu vitória a Seu povo diante de todos os inimigos; que fez do fraco (Davi) um vencedor; que usou a Eliseu para transformar a situação da viúva totalmente arrasada, sem haveres, dinheiro, marido e bens, e ainda endividada e com riscos de perder os seus filhos.

Amados, aquela viúva talvez não tivesse oportunidade de conhecer as maravilhas que Deus fez e as Suas obras em favor do Seu povo, mas cria que o Homem de Deus era um instrumento do Altíssimo; nós temos acesso ao maravilhoso compêndio destas obras através da Santa e Inspirada Bíblia Sagrada. Somos bem aventurados por acreditarmos que que víssemos. Jesus não elogiou a Tomé, antes valorizou a fé dos que morreram e dos que viriam nascer e neste grupo, estamos incluídos “Disse-lhe Jesus: Porque me viste, Tomé, creste; bem-aventurados os que não viram e creram!” (Jo 20.29). Para sermos alcançados pelo milagre precisamos obedecer ao que estabelece as Escrituras e termos fé, esta se consegue também através da Palavra de Deus. “A fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”  (Rm 10.17)  

 

OBRAS CONSULTADAS:

ANDRADE, Claudionor Corrêa de. Dicionário teológico. Rio de Janeiro: CPAD, 1996;

BÍBLIA EM CD-ROM.  Editora Vozes. Petrópolis, 1996;

BÍBLIA ON LINE. Sociedade Bíblica Brasileira, 1997;

BÍBLIA: e harpa Crista. CPAD, Rio de Janeiro, 1995;

BÍBLIA SAGRADA. Edição Pastoral. Paulus. São Paulo. 1991.

DICIONÁRIO AURÉLIO DA LINGUA PORTUGUESA. Nova Fronteira.

DICIONÁRIO BÍBLICO UNIVERSAL. Buckland. Editora Vida. 1987;

 
EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS

UMA OFERTA VALOROSA

Por Enoque Rodrigues Nogueira, em 10-05-2004

 

Disse Jesus:

“Guardai-vos fazer a vossa esmola diante dos homens, para serdes vistos por eles; aliás, não tereis galardão junto de vosso Pai, que está nos céus. Quando, pois, deres esmola, não faças tocar trombeta diante de ti, como fazem os hipócritas nas sinagogas e nas ruas, para serem glorificados pelos homens. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão. Mas, quando tu deres esmola, não saiba a tua mão esquerda o que faz a tua direita; Para que a tua esmola seja dada em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, ele mesmo te recompensará publicamente”. Mt 6.1-4.

 

Dar esmola é, sem dúvida nenhuma, uma boa obra passiva de reconhecimento nos céus através de galardão, desde que seja feita em secreto e com o único intuito de abençoar a algum necessitado. Jesus Cristo alerta: A promessa fica sem validade se fizermos caridade com outros objetivos.

Não devemos fazer juízo temerário a respeito de uma pessoa que pratica boa obra, mas em alguns casos, basta uma simples observação e iremos perceber que existem pessoas que praticam uma boa ação simplesmente em troca de benefícios próprios. Há quem tenha coragem de contribuir com uma instituição de caridade simplesmente para abater alguma quantia em impostos. Outros a fazem como um excelente negócio promocional que sempre lhes dão retorno financeiro ou promocional. Não seria absurdo imaginar que alguém colabore em campanhas sociais de televisão só para ter o seu nome em evidência na mídia.

A premiação pode ser conquistada de muitas formas, desde que se observe a alguns pré-requisitos; havendo s sorteios ou ainda com critério estabelecido na hora ao gosto do responsável pelo concurso. Seja da forma que se queira, o prêmio quase sempre será material e voltado para o ego humano. É muito difícil para o homem natural buscar fazer um bem não sendo por interesse de recompensa em vida.

O galardão por esmolar, conforme lemos no texto de Mateus, é garantido para quem oferta humildemente e dado segundo os critérios divinos; este, nem sempre pode ser conhecido ou mensurado por nós. É uma soma de resultados valorados de forma espiritual por Deus. A diferença entre o galardão celestial e o espiritual está na própria natureza, o celestial é indestrutível e terreno é temporal. O tipo de premiação oferecido por Deus não está explícito nesse texto e também não é um assunto de fácil entendimento. Por outro lado, Deus não está à nossa disposição para explicar a Sua forma de trabalho. A nós, basta a garantia de que Ele não falha; é fiel e trabalha eternamente a nosso favor.

Bem conhecedor do assunto, o apóstolo Paulo deixou claro em sua carta aos romanos, “Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós um peso eterno de glória mui excelente; não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas”, Rm 4.17-18. Fazendo uma boa reflexão deste texto veremos que o servo do SENHOR tinha completa convicção do breve e momentâneo espaço de tempo que temos; ele está tentando nos dizer: “amados, os setenta ou oitenta bons anos de vida é ínfimo em relação à imortalidade de nossa alma”.

Amados, o tempo passa muito rapidamente. Talvez por causa de nossas intensas atividades do dia-a-dia não percebemos esta realidade, mas aqueles que pertencem o grandioso grupo dos cinquentões têm grande facilidade de entender isto quando, apesar de ter passado um bom tempo, sente a fase de adolescência como o dia de ontem.

Queridos, trabalhemos diuturnamente em prol da obra de Deus e do nosso semelhante. Lembremos que o maior galardão que possamos receber será dado sem nenhum mérito de nossa parte, simplesmente foi comprado a preço de sangue por Jesus Cristo e está disponível para todos os que crêem em Seu nome. Vamos plantar sem olhar o vento; regar sem olhar as nuvens; cultivar sem atentar para as pragas. Tenhamos a certeza de que Deus é o nosso fiel galardoador sim, mas antes, devemos fazer todas as coisas por amor e para honrar, glorificar e exaltar o soberano nome de Jesus. Seja feita com carinho a sua obra e que seja ofertada de coração contrito, do esmolar ao contribuir para a construção do tempo; do capinar o terreno ao assentamento do granito importado nos umbrais no suntuoso templo.

Deus nos abençoe e que a nossa obra seja feita pela direita sem que a esquerda veja.

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS


 UNÇÃO COMO CAPACITAÇÃO

Por Enoque Rodrigues Nogueira

INTRODUÇÃO

Gostaria de comentar apenas sobre um dos muitos significados da palavra 'unção' que quer dizer capacitação. Não será considerado aqui o rito. Sabemos que no Antigo Testamento o azeite para unção tinha qualidade definida por Deus, o que não será aqui comentado. O texto tradicional é o seguinte:

Disse mais o SENHOR a Moisés: Tu, pois, toma das mais excelentes especiarias: de mirra fluida quinhentos siclos, de cinamomo odoroso a metade, a saber, duzentos e cinqüenta siclos, e de cálamo aromático duzentos e cinqüenta siclos, e de cássia quinhentos siclos, segundo o siclo do santuário, e de azeite de oliveira um him. Disto farás o óleo sagrado para a unção, o perfume composto segundo a arte do perfumista; este será o óleo sagrado da unção.

Ex 30.22-25. Hoje aquele óleo pode ser hoje substituído pelo símbolo maior: O Espírito Santo.

A UNÇÃO QUE CAPACITA

Nelson Tristão diz em um dos seus artigos o seguinte:

Queria compartilhar essa semana algo que Deus tem colocado em nosso coração sobre unção. Isaías 61:1-3 nos diz: (...). A palavra unção tem o sentido de capacitação, ou seja, se você foi ungido para determinada tarefa, significa que você recebeu uma capacitação de Deus para desempenhar esse serviço. Se Deus lhe deu um dom musical, significa que o Espírito do Senhor lhe ungiu. Há uma unção de Deus contida em você seja qual for sua função, e isso vale para todas as partes do corpo de Cristo, mas quero ser específico quanto a área de música. Se Deus lhe deu um dom e você toca algum instrumento, ou ministra louvor na igreja ou faz back vocal em sua igreja, ou se você é um compositor ou ainda tem uma banda gospel seja de que gênero for, eu quero lhe dizer que o Espírito de Deus lhe ungiu. Essa unção então implica em responsabilidades que gostaria de compartilhar com você.

(Nelson Tristão. www.sfnet.com.br/~central/uncaowalter.htm em 21/07/05).

A unção como capacitação vem de Deus e é dada a todos os que exercem uma atividade dada por Ele. Na luta pela verdade dentro de um mundo contaminado, afastado de Deus, nenhum conhecimento ou delegação conferida pelos homens é suficientemente capaz; estamos irremediavelmente dependentes da unção de Deus 'Não que sejamos capazes, por nós, de pensar alguma coisa, como de nós mesmos; mas a nossa capacidade vem de Deus,' (2 Co 3.5).

OS CAPACITADOS NA VELHA ALIANÇA

Ao longo da história muitos foram ungidos para as suas atividades:

Capitão

'Amanhã, a estas horas, te enviarei um homem da terra de Benjamim, o qual ungirás por capitão sobre o meu povo de Israel, e ele livrará o meu povo da mão dos

filisteus; porque tenho olhado para o meu povo, porque o clamor chegou a mim.' 1 Sm 9.16. (Capitão – é usado em vários campos, governamental, militar e religioso, como referência ao líder- Bíblia Plenitude p. 298).

Querubim

'Tu eras querubim ungido para proteger, e te estabeleci; no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas.' Ez 28.14. (Sentença referida ao rei de Tiro. Há muitas versões teológicas para a versão. Algumas apontam para Lúcifer, antes de sua queda)

Reis

'Tomou Samuel um vaso de azeite, e lho derramou sobre a cabeça, e o beijou, e disse: Não te ungiu, porventura, o SENHOR por príncipe sobre a sua herança, o povo de Israel? (1 Sm 10.1).

'Assim diz o SENHOR ao seu ungido, a Ciro, a quem tomo pela mão direita, para abater as nações ante a sua face, e para descingir os lombos dos reis, e para abrir diante dele as portas, que não se fecharão.' (Is 45.1) (Ciro - Fundador do Império Persa. Permitiu que os judeus voltassem do cativeiro, (2Cr 36.22-23) – Bíblia Online – SBB).

Profetas

'A Jeú, filho de Ninsi, ungirás rei sobre Israel e também Eliseu, filho de Safate, de Abel-Meolá, ungirás profeta em teu lugar' (1 Rs 19.16).

Sacerdotes

'E, com isso, vestirás Arão, teu irmão, bem como seus filhos; e os ungirás, e consagrarás, e santificarás, para que me oficiem como sacerdotes' (Ex 28.41).

OS CAPACITADOS NA NOVA ALIANÇA

A unção é vital e continua indispensável. Com ela o crente exerce a sua vida cristã com amor e cooperação que só o Espírito Santo pode oferecer através da capacitação para:

Pregar

'Porque na mesma hora vos ensinará o Espírito Santo o que vos convenha falar.' Lc 12.12

Lembrar

'Mas aquele Consolador, {ou Advogado; ou Amparador; Gr. Paracleto} o Espírito Santo, que o Pai enviará em meu nome, vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito.' Jo 14.26.

Fazer missões transculturais

'E assim estes, enviados pelo Espírito Santo, desceram a Selêucia e dali navegaram para Chipre.' At 13.4.

Ficar cheio da glória de Deus

'E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem.' At 2.4.

Uma função específica

'Escolhei, pois, irmãos, dentre vós, sete varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria, aos quais constituamos sobre este importante negócio.' At 6.3.

Liderança eclesiástica

'Olhai, pois, por vós e por todo o rebanho sobre que o Espírito Santo vos constituiu bispos, para apascentardes a igreja de Deus, que ele resgatou com seu próprio sangue.' At 20.28.

Regozijar

'Ora, o Deus de esperança vos encha de todo o gozo e paz em crença, para que abundeis em esperança pela virtude do Espírito Santo.' Rm 15.13.

Percepção da divindade de Cristo

– 'Portanto, vos quero fazer compreender que ninguém que fala pelo Espírito de Deus diz: Jesus é anátema! E ninguém pode dizer que Jesus é o Senhor, senão pelo Espírito Santo.' 1 Co 12.3.

Usar os dons espirituais

'Testificando também Deus com eles, por sinais, e milagres, e várias maravilhas, e dons {ou distribuições} do Espírito Santo, distribuídos por sua vontade?' Hb 2.4.

Discernimento das coisas espirituais

'As quais também falamos, não com palavras de sabedoria humana, mas com as que o Espírito Santo ensina, comparando as coisas espirituais com as espirituais.' 1 Co 2.13.

Discernir entre o espírito do anticristo e o de Cristo

Filhinhos, esta é a última hora. Como ouvistes, vem o anticristo. Eis que já há muitos anticristos, donde concluímos ser esta a última hora. Eles saíram dentre nós mas não eram dos nossos. Se fossem dos nossos, teriam permanecido conosco. Assim se vê que nem todos são dos nossos. Vós, porém, tendes a unção do Santo e sabeis todas as coisas. Não vos escrevi por desconhecerdes a verdade mas porque a conheceis e sabeis que a mentira não procede da verdade. Quem é mentiroso senão quem nega que Jesus é o Cristo? É o anticristo que nega o Pai e o Filho. Quem nega o Filho, também não tem o Pai, mas quem confessa o Filho tem o Pai. Que permaneça em vós o que tendes ouvido desde o princípio. Se permanecer em vós o que ouvistes desde o princípio, também vós permanecereis no Filho e no Pai. A promessa que nos fez é a vida eterna. Era o que tinha para vos escrever a propósito dos que pretendem extraviar-vos. A unção, que dele recebestes, permanece em vós e não necessitais de ninguém para vos ensinar. Pois como a unção vos ensina tudo e é verdadeira e não mentirosa, permanecei nele conforme ela vos ensinou. 1 Jo 2.18-27.

Neste texto temos uma das maiores advertências bíblicas quanto a perspicácia de satanás de querer atrair os desavisados cristãos para o seu reino.

O CAPACITADO: JESUS CRISTO

'Levantaram-se os reis da terra, e os príncipes se ajuntaram à uma contra o Senhor e contra o seu Ungido. Porque, verdadeiramente, contra o teu santo Filho Jesus, que tu ungiste, se ajuntaram, não só Herodes, mas Pôncio Pilatos, com os gentios e os povos de Israel' (At 4,26,27).

CONCLUSÃO

Amados, a unção que capacita está disponibilizada a todos os que se dedicam e se submetem a vontade do Espírito Santo. Não existe curso de teologia que possa prevalecer diante da Unção do Santo, por maior ou mais renomada instituição que seja. Essas escolas são bênçãos de Deus para a nossa vida e importantíssimas para o norteamento teológico do povo de Deus, mas não substitui a unção na vida dos formados. Se não fosse a capacitação de Deus, as escrituras teriam sido apagadas pelo tempo; não estaria como hoje com a expressividade que tem. Nada somos e nada podemos fazer sem a imprescindível e vital unção do Santo. È a unção que nos capacita a desenvolver as atividades dentro do mundo espiritual.

Deus nos guarde por Sua Graça.

EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS.


EU DEPENDO DA GRAÇA DE DEUS


Site pronto: NetFacilita